Estado Islâmico exige U$30 milhões para libertar 300 cristãos sequestrados

De acordo com informações de um oficial da liderança assíria, os jihadistas estão pedindo 100 mil dólares por indivíduo.

fonte: Guiame, com informações de The Christian Post

Atualizado: Sexta-feira, 10 Abril de 2015 as 8:04

Assírios protestam em solidariedade aos cristãos sequestrados. (Reuters/Mohamed Azakir)
Assírios protestam em solidariedade aos cristãos sequestrados. (Reuters/Mohamed Azakir)

 

O grupo terrorista Estado Islâmico pediu 30 milhões de dólares para libertar cerca de 300 assírios cristãos, sequestrados em fevereiro. De acordo com informações de um oficial da liderança assíria, os jihadistas estão pedindo 100 mil dólares por indivíduo.

"Eles sabem que não podemos entregar esse valor, por isso estão esperando que outros grupos e países entreguem o dinheiro", disse o oficial, que não foi identificado.

Os cristãos  foram sequestrados  em de 35 aldeias diferentes da província de Hasakah, em fevereiro. Embora o grupo terrorista tenha liberto 23 dos reféns, forçaram os outros cristãos a abandonarem sua fé e se converter ao islamismo.

Conversão Forçada

No final de março, o Estado Islâmico divulgou um vídeo que mostra a suposta conversão ‘voluntária’ de um refém. As imagens mostram um homem da aldeia de Tel Temit declarando que Maomé é o profeta de Deus.

Um dos assírios libertos, identificado como Robert, disse que os outros reféns se recusaram a se converter." Eles continuavam a nos pressionar a se converter ao Islã. Foi seu foco constante. Mas não foram maltratados".

"Nós dissemos que não iríamos nos converter. Eles disseram que devíamos, então, pagar o jizya – um imposto cristão – ou deixar o país. Essa foi a opção que nos foi dada. Dissemos que iríamos pagar o jizya, mas não poderíamos nos converter", relatou Robert.

veja também