"Evangelismo não pode ser apenas uma programação em nossas igrejas", diz pastor

Idealizador e líder do projeto de missões urbanas "Primitivos Movement", William falou com exclusividade ao Guiame, sobre as experiências que tem vivido desde que passou a trabalhar com esta iniciativa, avaliou o contexto de missões urbanas atualmente no Brasil e destacou que o Evangelho é transformador, quando pregado com verdade e fé.

fonte: Guiame, João Neto

Atualizado: Quinta-feira, 29 Outubro de 2015 as 5:02

Levar o Evangelho às pessoas nas ruas, praças e outro locais públicos, convocando cada vez mais jovens para esta missão. É isto que o pastor William Hudson, da Igreja Batista Projeto Nova Esperança, em Juiz de Fora (MG) tem se empenhado em fazer.

Idealizador e líder do projeto de missões urbanas "Primitivos Movement", William falou com exclusividade ao Guiame, sobre as experiências que tem vivido desde que passou a trabalhar com esta iniciativa, avaliou o contexto de missões urbanas atualmente no Brasil e destacou que o Evangelho é transformador, quando pregado com verdade e fé.

É acreditando nisso, que William tem vivido momentos como este, registrado no vídeo abaixo, que já tem dezenas de milhares de visualizações no Facebook:

 

O evangelho que sonhávamos e desejávamos é real! Estilo de vida sobrenatural, Jesus estava falando sério!Infelizmente não conseguimos filmar tudo, foram muitas curas, palavras de conhecimento e profecias.

Posted by Pr. William Hudson on Sábado, 3 de outubro de 2015


Confira a entrevista, na íntegra, logo abaixo:

Portal Guiame: Missões Urbanas são uma questão que parece ser um clamor nas bocas de muitos atualmente. Em sua opinião, como o seu ministério se insere neste contexto em que se fala muito na necessidade de uma "igreja fora dos templos" ou "sair das zonas de conforto"?

Pastor William Hudson: A minha chamada é ativar jovens para viverem o Reino e o poder do Evangelho como estilo de vida. Evangelismo é manifestar o poder do Reino. Não pode ser uma programação na agenda das nossas igrejas. O que vocês têm visto nos vídeos é normal na vida desses jovens e de outros que não aparecem nos vídeos. Eles fazem isso o tempo todo, é normal para eles. Quando estão na aculdade, no trabalho, enquanto aguardam o ônibus... é como comer arroz e feijão, esta é a vida deles. Acredito que isso não seja um privilégio do meu ministério, não sou um acaso. Muitos estão saindo das quatro paredes, isso vai ficar mais intenso nos próximos anos. Somos a Igreja dos últimos dias. Deus tem se manifestado de forma mais intensa, porque a Igreja está começando entender sua posição no Reino. Somos filhos dEle e a criação terá seu anseio atendido. O mais lindo desse ultimo avivamento é que ele não tem alguém em destaque, são pessoa comuns.

Guiame: Quando se fala em missões, você acredita que ainda exista o esteriótipo somente das missões transculturais ou você as igrejas talvez já estejam compreendendo que o campo missionário está nos arredores?

Pastor William: Durante anos recebemos ministros de outras nações e nos maravilhávamos com seus ministérios e a unção que carregavam com eles. Foi importante para Igreja no Brasil, a visita desses ministros, que nos ativaram, mas creio que a Igreja Brasileira está começando a olhar para dentro de si mesma e ver a unção que está disponível em nós. Não vejo problema em enviarmos ministros às nações. Não podemos negligenciar essa necessidade. Agora, também me alegro em ver que estamos chegando ao equilíbrio. A Igreja está sim compreendendo seu chamado para testemunhar o Reino como estilo de vida. Ainda estamos engatinhando, bem tímidos, mas já está começando. Estamos despertando para o entendimento de que a obrigação de sarar esta nação é nossa, e temos a condição e as ferramentas para fazer isso. O mesmo Espírito que possibilitou Jesus a fazer tudo que fez está em nós. Isso é fantástico! Fico louco com isso [risos].

Guiame: Pelos vídeos que vocês postam em suas páginas / perfis do Facebook, a abordagem evangelística de seu Ministério não conta com "grandes produções", mas se assemelha bem com uma conversa simples, que é possível acontecer em qualquer lugar e possibilita o compartilhamento da Mensagem. Como se formou a ideia de trabalhar neste formato?

Pastor William: Olhando para Jesus! O evangelho é simples. Só há necessidade de uma estrutura: você! Nós somos a estrutura que Deus deseja usar, por isso nascemos de novo: para estarmos aptos a carregar Cristo conosco e Ele vai fazer o resto. A Igreja está cansada de entretenimento. Os jovens querem ver os sinais, querem ver o poder do evangelho. Tudo isso nasceu quando olhamos para Palavra e vimos o Espírito de Deus ungindo pessoas comuns, como eu e você. Acreditei em tudo que li na Bíblia... Se ela diz que podemos curar, que os sinais acompanham os que creem, então é isso! Cremos, saímos às ruas e as coisas acontecem.

veja também