Família de pastor preso na Turquia reage à perseguição com fé: "Deus está com ele"

A irmã do pastor Andrew Brunson afirmou que toda a família tem buscado em Deus as forças para suportar esta dura situação.

fonte: Guiame, com informações do Christian Today

Atualizado: Quinta-feira, 13 Abril de 2017 as 12:10

Pastor Andrew Brunson está preso na Turquia, sob falsas acusações de envolvimento com o terrorismo. (Foto: American Center for Law and Justice)
Pastor Andrew Brunson está preso na Turquia, sob falsas acusações de envolvimento com o terrorismo. (Foto: American Center for Law and Justice)

A irmã do pastor Andrew Brunson, o missionário americano que está preso na Turquia por causa de falsas acusações de envolvimento com o terrorismo, falou sobre como a fé da família em Deus está sustentando a toda a família.

Beth Herman disse à Breitbart News: "Tem sido muito difícil para nós como família dele. Nós o amamos e queremos que ele volte a ficar conosco".

Ela disse que seu irmão "ama o povo turco e ele tentou fazer apenas o bem para eles", acrescentando que ele "não faria nada que pudesse machucar ninguém".

"Temos muita fé em Deus", disse Herman. "Nós acreditamos que Deus está com ele e ele conseguirá passar por isso".

O pastor Andrew Brunson e sua esposa, Norine lideravam uma pequena igreja em Izmir (Turquia) e foram inicialmente presos por causa de acusações feitas pelo departamento de imigração do país. Norine foi libertado, mas a acusação contra Andrew Brunson foi ampliada e ele foi acusado de ser um defensor de Fethullah Gulen, um clérigo muçulmano com que mora nos EUA é culpado - erroneamente, dizem muitos observadores - por um fracassado golpe em julho passado.

O presidente da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, lançou um programa de feroz repressão após tentativas de golpe de Estado, prendendo milhares de pessoas e demitindo muitos funcionários de cargos governamentais. Um referendo no final deste mês indica que ele adquiriu poderes ainda mais abrangentes.

Brunson pediu ao governo dos Estados Unidos que agisse em seu favor, como escreveu em uma carta enviada da prisão há quinze dias: "Eu imploro ao meu governo - com a Administração Trump - para lutar por mim".

"O governo turco não sofrerá consequências por continuar mantendo um cidadão americano como prisioneiro político?", questionou o missionário. "Embora eu tenha um longo histórico público como pastor, eles me acusam falsamente de ser membro de um grupo terrorista islâmico".

veja também