Fé de cristãos do Níger se fortalece diante dos numerosos ataques terroristas no país

Até o momento, 72 prédios de igrejas sofreram ataques e pelo menos 10 pessoas foram mortas durante as manifestações, que começaram em Zinder, no dia 16 de janeiro e atingiram a capital Niamey no dia seguinte.

fonte: Guiame, com informações do Morning Star News

Atualizado: Segunda-feira, 26 Janeiro de 2015 as 10:02

Níger Campanha
Níger Campanha

Os cristãos no Níger estão alegremente reunidos em casas sob proteção policial, enquanto planejam reconstruir igrejas e casas após os ataques dos dias 16 a 18 de janeiro, que foram sem precedentes e em escala.

"Nada dessa magnitude já havia acontecido neste país", escreveu um casal missionários da capital, Niamey. "Quase todas as igrejas da cidade capital de Niamey foram queimadas ou saqueadas, junto com algumas escolas e orfanatos e várias outras igrejas e casas de cristãos em todo o país".

Muçulmanos protestam contra a representação do profeta do Islamismo (Maomé) no jornal satírico francês Charlie Hebdo. Até o momento, 72 prédios de igrejas sofreram ataques e pelo menos 10 pessoas foram mortas durante as manifestações, que começaram em Zinder, no dia 16 de janeiro e atingiram a capital Niamey no dia seguinte, de acordo com a Missão Portas Abertas. O líder de uma das igrejas atacadas publicou recentemente, o total de igrejas que estão com suas estruturas em ruínas. Segundo ele, este número pode chegar a 68.

Analistas suspeitam que a uma quantidade crescente da pregação extremista islâmica, juntamente com rivais políticos incitando o furor sobre o presidente do Níger, Mahamadou Issoufou pelo fato deste ter participado de uma marcha contra o terrorismo em Paris, contribuíram para a escala dos ataques. Mais de 170 pessoas foram feridas até o momento.

"Ontem à noite, os membros da igreja se reuniam para orar enquanto o pastor, que perdeu tudo, encorajou-os a não só permanecerem fortes, mas também a seguirem em frente e saber que este ataque vai contribuir para o crescimento da igreja", escreveu o casal de missionários aos parceiros interessados. "O quarto estava escuro do lado de fora, mas iluminado pelo fogo nos corações de seu povo, ao mesmo tempo que pedras estavam sendo jogados no telhado".

Cristãos no Niger louvam a Deus, apesar dos prédios da igrejas terem sido destruídos pelos ataques em Niamey. Apesar da violência, muitos presentes na reunião desta igreja estavam ansiosos para compartilhar testemunhos da fidelidade de Deus durante os ataques, pois foram solicitados que esperassem até o domingo seguinte para isso.

"Nossas duas igrejas em Niamey, juntamente com as casas dos pastores, foram destruídas", escreveram eles. "Temos também três escolas bíblicas que sustentaram várias quantidades de destruição. O prejuízo global foi extenso, e não há muita perda. Agora começa o processo de reconstrução e restauração que foi perdido".

O Rev. Mai'aki Kadaidai, presidente da Igreja Evangélica na República do Níger (EERN), disse por telefone ao Morning Star News que os ataques contra cristãos e igrejas foram espalhados pelas cinco regiões e pela capital.

"Esta é a primeira vez que estamos testemunhando uma violência desta magnitude contra a Igreja e os cristãos", disse Kadaidai. "Ao todo, 68 igrejas foram destruídas nas cinco regiões de Agadez, Damagaram, Diffa, Maradi, Zinder, e na cidade de Niamey capital do nosso país. Os manifestantes muçulmanos destruíram cinco das nossas igrejas, quatro casas de nossos pastores e muitos de nossos membros foram afetados negativamente".

Abubakar Shekau, líder do grupo extremista Boko Haram na vizinha Nigéria, divulgou um vídeo após a agitação dizendo que os ataques no Níger, Nigéria, Chade e Camarões iriam continuar. Obreiros cristãos nativos no Níger auxiliados pela Christian Aid Mission, que auxilia os ministérios baseados no país, disseram que não havia sinais de que mais ataques poderiam seguir.

"Houve rumores de pessoas que vão em torno da marcação casas dos cristãos para novos ataques," um nativo líder do ministério para o Níger escreveu na terça-feira (20 de janeiro), de acordo com a Christian Aid Mission. "Mais tarde, à noite, recebemos vários telefonemas de cristãos e missionários locais que confirmaram que as suas casas foram marcadas. Por favor, continuem a orar pela situação muito insegura no Níger ".

Um líder cristão em Niamey disse que 46 prédios de igrejas protestantes e 15 locais de culto católico na capital foram queimados, de acordo com a Christian Aid Mission. Pelo menos três cristãos mortos nos ataques estavam presos dentro de prédios de igrejas.

Os ataques começaram no dia 16 de janeiro, em Zinder com a destruição de várias igrejas e casas de cristãos e de propriedade. Várias outras cidades sofreram danos como a violência se espalhou para a capital, no dia seguinte, com os muçulmanos irritados também saqueando lojas, atacando delegacias de polícia, bares e hotéis, e saqueando as empresas que eram ou de origem francesa ou de propriedade de não-muçulmanos.

Após os ataques na França, o jornal Charlie Hebdo publicou um cartoon em uma de suas recentes capas, na qual Maomé carregava um um cartaz com o slogan "Eu sou Charlie" - fazendo menção ao movimento de solidariedade pela "liberdade de expressão" e as 12 vítimas dos disparos efetuados por dois terroristas islâmicos nos escritórios do jornal, no último dia 07 de janeiro. Representações de Maomé são proibidas na maioria dos ramos do Islã, e as escolas proeminentes da jurisprudência islâmica prescrevem a morte por difamar o profeta muçulmano.

Os muçulmanos constituem cerca de 98% da população do Níger e viviam em relativa paz com a minoria do país (0,3 por cento). Apesar do crescente extremismo islâmico dentro do país, poucos no Níger esperavam ouvir os gritos de "Matar os infiéis, matar os cristãos", enquanto os manifestantes saqueavam a nação. O Níger havia sido retirado da "lista dos países onde o cristianismo é mais perseguido", em 2015.

O presidente do Níger chamou vários líderes cristãos em conjunto para dar-lhes conselhos sobre como restaurar a calma após a devastação no sábado (17 de janeiro), disse que os pastores.

O valor da indenização ainda não foi calculado, mas o casal missionário disse que as estimativas iniciais ásperas de reparos necessários para seus ministérios somariam mais de 45.300 dólares americanos.

"Nossa primeira prioridade é cuidar das necessidades dos nossos pastores e suas famílias", escreveram eles. "Os dois perderam quase tudo."

As estimativas preliminares de danos a propriedades de seus pastores foram 23.000 dólares; propriedades da igreja, $ 16.000; e propriedade escola bíblica, 6300 dólares. As reparações de construção ainda terão seus cálculos determinados. Aqueles que desejam contribuir com os reparos, podem fazê-lo pelo site http://runintl.org.

"As estimativas ainda estão chegando, e em um país considerado um dos mais pobres do mundo, a tarefa de reconstrução parece insuperável", escreveram eles. "Mas Jesus disse-nos que nada é impossível para aquele que crê".

veja também