#FelicidadeQueVemDoAlto - parte 2

A alegria de ter a Palavra de Deus em mãos

fonte: Portas Abertas

Atualizado: Quinta-feira, 19 Fevereiro de 2015 as 9:44

Bíblias entregues no Norte da África
Bíblias entregues no Norte da África

Às vezes não é fácil entregar aos cristãos os livros e materiais dos quais eles precisam. Não se trata apenas de uma questão financeira. Em muitos países árabes, a entrada de livros não-autorizados pelo governo só é possível de acontecer através do contrabando. A história a seguir, extraída de relatos reais, mostra os desafios – e também a alegria – que os contrabandistas de Bíblias têm.

Ninguém notava aquele grupo de estrangeiros andando pelas ruas de certo país norte-africano. “É só mais um grupo de visitantes conhecendo a região. Talvez estejam a negócios”, algum observador poderia pensar. Sim, eles estavam a negócios, mas eram negócios secretos.

Só eles sabiam que 500 exemplares do Novo Testamento haviam atravessado o oceano e agora estavam entre as peças de roupas de suas malas.

Na verdade, não eram apenas eles que sabiam. Outra pessoa, no mesmo país, também sabia daquela carga preciosa. Ela iria receber aqueles livros. A alegria de ter a Palavra de Deus em suas mãos superou todos os temores que pudessem vir ao seu coração: o risco de ser multado, preso e assinalado pelas autoridades como um cristão cúmplice de contrabando.

A situação – se já não fosse perigosa o suficiente – ainda tinha mais um agravante. Os exemplares do Novo Testamento estavam escritos no idioma local. Embora isso os tornasse mais preciosos aos olhos dos cristãos locais, para as autoridades essa característica deixaria o crime ainda mais grave. Materiais escritos em outras línguas podem ser entregues sem grandes dificuldades para as igrejas, pois nem todos seriam capazes de lê-los. Mas as publicações em árabe têm controle maior por causa da sua fácil divulgação e circulação.

Transportando a Palavra
Muita oração antecedeu essa entrega. Os contrabandistas de Bíblias estavam nervosos. Era a primeira vez que eles faziam alguma coisa desse tipo, mas mesmo assim eles sabiam o risco que corriam. A cada momento eles eram incomodados pela dúvida: “E se alguém descobrir esses Novos Testamentos em nossas malas?” As consequências que eles poderiam vir a sofrer não eram muito grandes: o material seria apreendido pela polícia e eles seriam deportados. Mas e os cristãos, que há tanto tempo esperavam ter uma cópia da Bíblia? Quando eles teriam de novo a chance de recebê-la?

No aeroporto, as malas passaram pela inspeção de bagagem. Um arrepio correu a espinha dos visitantes. Mas, milagrosamente, nada foi notado: 500 cópias do Novo Testamento passaram despercebidas! Um dos entregadores disse: “O Senhor realmente abençoou essa operação; ele fechou de verdade os olhos das pessoas, para que não pudessem ver os materiais.”

O cristão árabe estava ansioso também. A Igreja do país não tinha um crescimento acelerado, mas cada recém-convertido se mostrava desejoso de aprender mais sobre o seu Deus e queria conhecer mais a sua Palavra.

Distribuindo a Palavra
A sua surpresa foi enorme ao ver a quantidade de exemplares que havia sido trazida para dentro de seu país. “Esse foi o maior lote de Novos Testamentos que já entrou no país de uma vez só!”, ele disse. Os visitantes ficaram mais gratos a Deus, percebendo que o cuidado dele havia ido além do que se esperava.

O próximo passo seria levar os livros para outras localidades do país. Esse seria um trabalho delicado a ser executado pelo cristão árabe, mas a sua gratidão por receber as preciosas Escrituras mal podia ser expressa por palavras: “Muito obrigado por trazer esses livros. Isso vai ter uma repercussão sem fim. Graças a Deus por isso!”.

A participação da Portas Abertas terminou ali. Apenas o cristão árabe poderia concluir a entrega dos 500 exemplares. Cada livro precisa chegar em segurança às mãos de outro cristão. Isso não é muito fácil, porque alguns de nossos irmãos nesses países norte-africanos têm medo de ser pegos reunidos com outros cristãos. Isso também impede o distribuidor de saber exatamente quais são os lugares onde a Palavra de Deus é mais escassa.

O contrabando de Bíblias faz parte da história da Portas Abertas. Seu fundador, Irmão André, foi o primeiro a contrabandear Bíblias aos cristãos perseguidos. Os desafios mudam a cada época, mas Deus tem chamado mais “contrabandistas” dispostos a levar e a receber a sua Palavra.

“Como são belos nos montes os pés daqueles que anunciam boas novas, que proclamam a paz, que trazem boas notícias, que proclamam salvação, que dizem a Sião: ‘O seu Deus reina!’” Isaías 52.7

 

veja também