Filha de Meriam Ibrahim pode ter problemas para andar; sudanesa aguarda exames

O Jornal "The Daily Mail" informou na última terça-feira que as esperanças estão agora na possibilidade que a criança de já dois meses esteja gozando de plena saúde física. Apesar disso, ainda é necessário que sejam feitos os exames para confirmar.

fonte: Guiame

Atualizado: Quarta-feira, 9 Julho de 2014 as 12:50

Filha de Meriam Ibrahim pode ter problemas para andar; sudanesa aguarda examesA luta da sudanesa cristã Meriam Ibrahim ganhou destaque internacional em sites de notícias cristãs e seculares. Presa por declarar sua fé cristã, a mulher deu à luz uma menina, ainda na prisão e agora, já em liberdade, irá submeter a criança a exames para ver se terá ou não problemas de locomoção.

Relatórios anteriores indicaram que realmente haveria a hipótese da pequena Maya sofrer deste tipo de deficiência. Porém o Jornal "The Daily Mail" informou na última terça-feira que as esperanças estão agora na possibilidade que a criança de já dois meses esteja gozando de plena saúde física. Apesar disso, ainda é necessário que sejam feitos os exames para confirmar.

A publicação diz que a jornalista italiana e ativista Antonella Napoli, visitou a família de Ibrahim na embaixada dos EUA - onde a sudanesa está hospedada, junto ao marido, Daniel Wani e os dois filhos.

Os medos de que a garota tenha tais tipos de deficiência física surgiram quando Maya nasceu, ainda na prisão sudanesa. As más condições do local e o fato do pai da criança também sofrer de distrofia muscular reforçaram a possibilidade.

Ibrahim tinha sido inicialmente condenada à morte por se casar com Wani, um cristão e cidadão americano. O tribunal sudanês a reconheceu, não como uma cristã, mas sim como uma muçulmana e acusou-a de apostasia e adultério.

Após um protesto internacional por sua libertação, liderado por vários grupos de vigilância de perseguição religiosa, Ibrahim conseguiu sua liberdade da prisão em junho, depois de um tribunal de apelações, que considerou que a pena de morte não teria fundamento neste caso. A família de Ibrahim tentou viajar para fora do Sudão rumo aos EUA, no entanto, ela voltou a ser presa e acusada de usar documentos de viagem falsos.

Ibrahim e Wani foram liberados da delegacia pouco depois, mas permanecem no país, protegidos pela lei e ainda buscando encontrar uma maneira de ir para os EUA e buscar refúgio em terras norte-americanas.

Com informações do Christian Post

*Tradução por João Neto - www.guiame.com.br 

veja também