Filósofo diz que Hamas usa marketing para fazer Israel de vilão

"O Hamas não lança foguetes pela criação do Estado Palestino, lança pela destruição do Estado de Israel. Sabia disso?", indaga Luiz Felipe Pondé em seu texto

fonte: guiame.com.br

Atualizado: Segunda-feira, 21 Julho de 2014 as 12:22

Pondé _ filósofoLuiz Felipe Pondé, em sua coluna na Folha de S. Paulo online, escreveu sobre o conflito entre Israel e o Hamas e a leitura que faz do marketing geopolítico que existe.

"O Hamas espera que muitos palestino morram para dizer que Israel é mau. Isso é puro marketing", afirma Pondé.

Em seu texto, o filósofo critica a ação do Hamas que tem usado de manobras marketeiras para sair como o bonzinho da história e fazer de Israel o vilão diante da mídia internacional. Leia um trecho do artigo:

Vejamos o caso do Estado de Israel. Aliás, talvez este seja um dos assuntos onde o marketing geopolítico mais faz estrago à reflexão.
"
Israel é um 'anacronismo' contemporâneo. Primeiro porque não faz marketing geopolítico e isso, aliado ao velho antissemitismo hoje travestido de crítica a Israel, cria o caldo no qual grande parte da mídia discute o conflito entre judeus e árabes no Oriente Médio. Os árabes investem pesado em marketing geopolítico. Israel, não.

Importante lembrar que os palestinos são uma cabeça de ponte dos países árabes e do Irã que continuam buscando a eliminação de Israel do mapa da região. O marketing geopolítico árabe oculta este fato. O Hamas não lança foguetes pela criação do Estado Palestino, lança pela destruição do Estado de Israel. Sabia disso?"

Em outro trecho, Pondé escreve: "O Hamas se esconde atrás da população civil porque saber que quando Israel é obrigado a revidar, muita gente morre e a mídia internacional embarca de novo no estelionato geopolítico."


com informações da Folha de S. Paulo

 

veja também