Freira é estuprada na Índia em 'campanha de ódio anti-cristão'

Os supostos homens envolvidos no caso foram detidos pela polícia de Raipur, capital de Chhattisgarh, na Índia. No entanto, enquanto oficiais chamam o caso de "tentativa de estupro", Arun Pannalal, presidente da Chhattisgarh Christian Forum, disse que a mulher tinha sido, de fato, estuprada.

fonte: Guiame, com informações de The Christian Post

Atualizado: Terça-feira, 23 Junho de 2015 as 8:05

Freiras em um protesto na cidade indiana de Ranaghat, em 14 de março de 2015. (Tribune)
Freiras em um protesto na cidade indiana de Ranaghat, em 14 de março de 2015. (Tribune)

 

Na cidade indiana de Raipur, uma freira foi estuprada por uma gangue em uma "campanha de ódio anti-cristão", segundo relatos de líderes da comunidade cristã.

Os supostos homens envolvidos no caso foram detidos pela polícia de Raipur, capital de Chhattisgarh, na Índia. No entanto, enquanto oficiais chamam o caso de "tentativa de estupro", Arun Pannalal, presidente da Chhattisgarh Christian Forum, disse que a mulher tinha sido, de fato, estuprada.

"Temos 100% de certeza que a freira foi estuprada. Não pode haver qualquer discussão sobre este fato. Isso parece ser parte de uma campanha de ódio anti-cristão decorrente em todo o estado", disse Pannalal.

A vítima não identificada, de 47 anos, trabalhava como enfermeira em um centro médico dirigido por missionários cristãos.

É o segundo ataque do tipo contra uma freira no espaço de poucos meses. Uma freira de 71 anos foi estuprada por assaltantes, em março, em uma escola missionária católica no leste da Índia.

Pannalal afirma que esses ataques visam profanar o espírito da comunidade cristã. "Ao direcionar freiras cristãs a um estupro eles estão buscando infligir a comunidade com o máximo de humilhação e dor", disse ele. "Não temos certeza de quem cometeu este ataque hediondo sobre a freira. Mas suspeitamos que os ativistas Hindutva podem ter tido um papel neste ataque."

Perseguição na Índia

Os cristãos são minoria na Índia, e sua crescente população tem sido alvo de uma série de ataques por extremistas hindus em todo o país.

Em abril, Sadhvi Deva Thakur, vice-presidente da All India Hindu Mahasabha, sugeriu que os cristãos e muçulmanos na Índia fossem submetidos a cirurgia de esterilização à força para impedir a reprodução, e disse que deuses e deusas hindus deveriam ser colocados em igrejas e mesquitas.

"A população de muçulmanos e cristãos está crescendo a cada dia. Para controlar isso, teremos que impor emergência, e os muçulmanos e cristãos terão de ser forçados a se submeter à esterilização de modo que eles não possam aumentar o seu número", disse Thankur.

Diante disso, oc cristãos pediram ao primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi para proteger a liberdade religiosa no país. "Esses ataques contra as minorias são anti-constitucionais. Pedimos ao primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, que intervenha e garanta a segurança de todos os cidadãos e todas as comunidades que compõem a sociedade indiana", disse o cristão Sajan George.

veja também