Governo do Quirguistão restringe ação da Igreja com alterações na Lei da Religião do país

Agora, para uma igreja obter registro, são requeridos 500 membros, em vez de 200, como era previsto antes

fonte: guiame.com.br

Atualizado: Quarta-feira, 19 Novembro de 2014 as 9:51

QuirguistãoEmbora a Constituição do Quirguistão defenda a liberdade religiosa, na prática não é assim tão simples.

Recentemente, o governo divulgou algumas alterações feitas na Lei da Religião. A novidade mostra que há cada vez mais restrições à livre prática da religião. Confira

- Agora, para uma igreja obter registro, são requeridos 500 membros, em vez de 200, como era previsto antes. Além disso, supostamente todas as igrejas têm de passar por recadastramento e já que não há nenhuma igreja com 500 membros ou mais no país, significa que as igrejas não poderão obter o registro e passarão a ser ilegais.

- Existem apenas duas religiões oficialmente reconhecidas no Quirguistão: o islamismo e o cristianismo ortodoxo russo. Todas as outras minorias religiosas são definidas como seitas.

- Todos os pregadores devem ter permissão do comissário de Assuntos Religiosos. Além disso, todo pregador deve ter uma licença para pregar.

- Todas as contribuições doadas em igrejas, independente de quem doou, devem constar nos relatórios apresentados às autoridades públicas, com indicação de como e quando foram utilizados esses recursos.


com informações da Portas Abertas

 

veja também