Grávida cristã é espancada, roubada e deixada nua em público por muçulmanos no Paquistão

Segundo relatório, o grupo de muçulmanos que assistiram o espancamento, não sentiram pena alguma da mulher e ainda atiraram pedras contra ela, enquanto caminhava para casa tentando cobrir seu corpo seminu.

fonte: Guiame

Atualizado: Segunda-feira, 1 Dezembro de 2014 as 7:27

Aos 28 anos, a cristã Elishba Bibi, grávida de três meses, foi despida e espancada por dois irmãos muçulmanos, Muneeb e Mobeel Gondal, após discutir sobre sua fé com a mãe e irmã dos espancadores no início de novembro, no Paquistão.

Bibi disse à polícia que depois da discussão com as duas mulheres muçulmanas, os dois irmãos começaram a espancá-la com canos de ferro, despojaram suas roupas e, em seguida, arrastaram a gestante para a rua, onde mais tarde ela caiu inconsciente. Além da agressão, os homens também roubaram seu celular, um colar de ouro e seu dinheiro, equivalente a 25 reais.

Enquanto Bibi foi resgatada por vizinhos cristãos, que chamaram a polícia; membros da Associação Cristã Britânica Paquistanesa  (BPCA) relatam que um grupo local de muçulmanos se reuniram para assistir ao espancamento e denominaram a cena de "a desgraça cristã".

O relatório da BPCA afirmou ainda que o grupo de muçulmanos "não sentiram nenhum remorso ou piedade" e até atiraram pedras contra Bibi enquanto ela caminhava para casa tentando cobrir seu corpo seminu.

Aslam Pervez Sahotra, presidente da Comissão da Libertação Humana do Paquistão, criticou a polícia, alegando que eles realizaram uma investigação “meia-boca” e ainda não prenderam os dois irmãos.

Embora um número de cristãos tenha entrado com ações judiciais contra os irmãos Gondal, Sahotra conta que os estes cristãos estão sendo ameaçados com a violência da comunidade muçulmana. "Estamos recebendo relatos de que as famílias cristãs estão sendo orientadas a retirar o processo sob violência, em falsas acusações de blasfêmia", disse Sahotra.

Espancamento de Bibi é o mais recente caso em uma longa linha de violações dos direitos humanos relacionadas à blasfêmia contra as minorias religiosas no Paquistão. A intolerância religiosa no Paquistão causou a prisão de centenas de minorias religiosas. Além disso, muitos foram mortos e instituições religiosas foram queimadas e destruídas.

O caso de Bibi aconteceu após um casal cristão ter sido espancado por uma multidão de 1.500 muçulmanos paquistaneses e depois queimados vivos dentro de um forno de tijolo , porque tinham páginas fora do Corão que alegaram estar rasgada.  Dois dias após o assassinato do casal cristão, um muçulmano xiita foi partido até a morte por um policial paquistanês que usava um machado , depois de fazer uma observação sobre os companheiros do Profeta Maomé considerada blasfêmia.

Com informações de The Christian Post / www.guiame.com.br

veja também