Grupo radical Seleka matou dois pastores e centenas de civis na República Centro-Africana

Ore pelas famílias cristãs da região

fonte: guiame.com.br

Atualizado: Terça-feira, 30 Setembro de 2014 as 9:51

República Centro-AfricanaJunto com mais de 100 civis, os pastores Thomas Ouanam, de 60 anos, e Pierre Bapteme, de 46, foram mortos por membros do Seleka, uma força de coalizão islâmica radical que assumiu o governo centro-africano em março de 2013 e permaneceu até ser deposta em dezembro.

Após o massacre, as tropas de paz das Nações Unidas tomaram o controle do país das mãos da União Africana que, por 9 meses, tentou, sem sucesso, gerenciar a crise.

Thomas Ouanam, da Evangelical Church of Brethren, foi morto em 2 de setembro, quando homens armados invadiram o norte da cidade de Nana Bakassa. Os agressores chegaram em motos e, em aproximadamente cinco horas, saquearam propriedades antes de sair da cidade, de acordo com o World Watch Monitor.

No segundo ataque, em 8 de setembro, Bapteme, um diácono e três membros do coro foram mortos a tiros no complexo da Igreja Elim, em Ngakogbo, a 70 quilômetros de Bambari. O local foi palco de confrontos mortais em julho e agosto. Bapteme também deixa esposa e quatro filhos.


com informações da Portas Abertas

 

veja também