História da sudanesa Meriam Ibrahim pode ser retrada em novo filme cristão

Atualmente, o filme conta com financiamento colaborativo do público. Os produtores afirmaram que 50% do dinheiro arrecadado pelo filme serão revertidos para ajudar a família de Meriam e também para instituições que combatem a perseguição religiosa.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Terça-feira, 17 Março de 2015 as 1:26

A emocionante história da sudanesa Meriam Ibrahim, que permaneceu meses presa e chegou a ser condenada à pena de morte por se declarar cristã será tema de um novo filme norte-americano, que está contando com financiamento colaborativo do público.

Estima-se que que o custo desta produção precise de um suporte financeiro de cerca de 500 mil dólares.

A história de Ibrahim cativou a atenção de pessoas em todo o mundo. Quando sua prisão foi decretada, a cristã sudanesa estava grávida de seu segundo filho. As autoridades a acusaram de "apostasia", ou seja, alegavam que ela teria abandonado sua fé islâmica para tornar-se cristã. Considerando que o país é de maioria muçulmana, tal decisão configura o desrespeito à lei do Sudão.

Ao testemunhar no tribunal, Ibrahim esclareceu que sempre foi criada como cristã e nunca chegou a confessar a fé islâmica.

"Eu sou uma cristã e eu nunca fui uma muçulmana", afirmou.

A mulher de 27 anos de idade, casada com um emigrante sudanês que tem cidadania norte-americana, Daniel Wani insistiu que ela foi criada como uma cristã por sua mãe, depois que seu pai muçulmano desapareceu no início de sua infância.

A declaração consistente de Ibrahim e a firme recusa a renunciar à sua fé cristã serão o foco do filme intitulado "Eu Sou Uma Cristã". A apresentação cinematográfica da história da mulher sudanesa também vai envolver "as pessoas que a ajudaram e contribuíram para que ela fosse liberada da prisão, tendo também sua pena de morte anulada.

"Atualmente Meriam não está envolvido no projeto", disse Brian Harrington, um produtor associado e promotor do projeto. "Independentemente disso, temos ainda a intenção de dar a ela e sua família 10% da receita bruta do filme, não porque vemos isto como uma 'obrigação', mas sim porque entendemos que é a coisa certa a fazer".

Ele acrescentou: "Desde que o projeto ganhou impulso, tanto on-line e nas notícias, temos a intenção de chegar a Meriam e oferecer-lhe uma chance de se tornar oficialmente envolvida!"

No elenco estão Stacey Dash (interpretando Meriam Ibrahim), Kevin Sorbo (conhecido por papéis como o do professor ateu em "Deus não Está Morto" e protagonizando "Hércules" em uma série de TV), Rachel Hendrix ("October Baby") e Ben Davies ("Corajosos").

"Eu Sou Uma cristã" está sendo feito de forma independente. Os produtores do filme afirmam que "se Hollywood decidir investir neste filme, logo em seguida, a base cristã do roteiro será diluída".

Harrington enfatizou que a ideia é manter o filme como uma ferramenta poderosa e manter a essência da história.

"Contamos com o vosso apoio para nos ajudar a fazer este filme com sinceridade e sem levar em conta o 'politicamente correto'!", disse o produtor em um comunicado ao público.

Harrington também afirmou que será doado 40% dos rendimentos brutos do filme para instituições de caridade cristãs e judaicas, que trabalham para combater a perseguição religiosa em todo o mundo.

Harrington explicou que a sua equipe chegou a receber propostas de investidores privados, mas a assinatura de tais contratos impediria que que 50% das arrecadações do filme fossem destinadas para fins de caridade.

"Por isso, é o nosso desejo de levantar todo o orçamento desta forma colaborativa, pelo sistema 'Crowdfunding", explicou ele. "Se as pessoas estão dispostas a financiar projetos como 'salada de batata', certamente estarão dispostas a apoiar um filme cristão digno!".

Clique no vídeo abaixo para conferir um vídeo que fala sobre o projeto de financiamento colaborativo:

 

 

veja também