Igreja era forçada a fazer cultos em silêncio, por causa da perseguição

Para não serem notados pelas autoridades, os cristãos se reuniam no quarto da casa do pastor e realizavam orações em silêncio.

fonte: Guiame, com informações de Gospel for Asia

Atualizado: Segunda-feira, 3 Abril de 2017 as 12:47

Imagem ilustrativa. Cristãos durante estudo bíblico no Vietnã. (Foto: Portas Abertas)
Imagem ilustrativa. Cristãos durante estudo bíblico no Vietnã. (Foto: Portas Abertas)

Panelas e utensílios de cozinha são empurrados com mãos apressadas para debaixo da cama. Correndo de um lado para outro, o pastor Bandoni e sua esposa organizam sua casa e se prepararam para mais um culto de domingo.

Depois de todos os fiéis ocuparem as cadeiras colocadas em seu quarto, o pastor Bandoni oferece sua cama como um lugar para se sentar. Alguns membros recém-chegados dão uma espiada para conferir se a casa já está cheia demais, pois todos sabem que não se pode fazer barulho na casa do pastor — ou então as autoridades poderão agir.

Depois que o culto silencioso termina, o pastor Bandoni e sua esposa colocam os utensílios de volta na cozinha e guardam as cadeiras para o próximo domingo, em sua casa alugada.

Por alguns anos, essa foi a rotina dos cristãos a cada semana. O pastor Bandoni tentou encontrar um outro lugar para realizar as reuniões, mas sempre que os proprietários dos descobriam que ele era cristão, os aluguéis dos locais eram recusados.

Com o crescimento de sua igreja, estava se tornando difícil acomodar todos os fiéis em seu pequeno quarto.

Percebendo sua necessidade, a organização Gospel For Asia decidiu comprar um terreno para o pastor Bandoni e sua congregação.

“Ainda me lembro do dia em que o dono da casa do nosso pastor chamou sua atenção por ter convidado tantas pessoas para seu quarto”, disse Rajveer, um membro da igreja. “Depois disso, eu comecei a orar e Deus ouviu minhas orações em Seu tempo. Agora, posso adorar livremente ao Senhor Jesus Cristo”.

veja também