Igreja liberta 4.500 escravos cristãos e converte líderes muçulmanos, no Paquistão

Uma igreja norte-americana, formada por apenas 400 membros, conseguiu libertar mais de 4 mil escravos cristãos, construir uma escola para 2 mil alunos e ver a conversão de líderes muçulmanos e seus seguidores, no Paquistão.

fonte: Guiame, com informações de Christian Today

Atualizado: Terça-feira, 12 Julho de 2016 as 6:01

O Paquistão é um dos países que mais perseguem a fé cristã no mundo. (Foto: NBC News)
O Paquistão é um dos países que mais perseguem a fé cristã no mundo. (Foto: NBC News)

Uma igreja norte-americana, formada por apenas 400 membros, conseguiu gerar um grande impacto no Paquistão, um dos países que mais perseguem a fé cristã no mundo.

A igreja está acomodando cerca de 2 mil alunos com a criação de uma escola cristã, conseguiu a libertação de mais de 4.500 escravos cristãos que estavam sob o domínio do grupo fundamentalista Talibã, e levou dois líderes muçulmanos à conversão ao cristianismo — além de centenas de seus seguidores.

A igreja (que não foi identificada por razões de segurança) firmou uma parceira com o pastor Tariq, do Paquistão, para criar uma escola e ajudar na libertação de alguns escravos, que trabalhavam forçadamente na fabricação de tijolos. Para a surpresa da congregação, grandes doações foram levantadas por seus fiéis, permitindo que a escola cristã acomodasse cerca de 2 mil alunos.

Engajado pela missão, o pastor J.P, de 73 anos, decidiu ir para o Paquistão a fim de libertar o maior número de escravos possível. Ele e outros pastores fizeram quatro viagens missionárias, sendo que nas duas primeiras, 108 cristãos foram libertos.

O grande milagre aconteceu em sua quarta viagem, que aconteceu há poucas semanas. Além da libertação de cerca de 4.500 escravos cristãos, dois clérigos muçulmanos se renderam a Jesus Cristo — sendo um deles um comandante talibã.

Milagres de conversão

No entanto, antes de sua conversão, o líder talibã fez ameaças aos pastores. Ele havia exigido o pagamento imediato de US$ 1 mil por cada família que seria libertada da escravidão. Os pastores explicaram que não tinham todo esse dinheiro em mãos.

Em seguida, um dos guardas encostou uma metralhadora na gargante de JP. Em vez de ser intimidado, ele confrontou o líder talibã: "Algum dia eu estarei diante de Deus e vou ter que dar conta de como eu vivi minha vida Você terá que estar diante de Deus algum dia, e dará um relato de como você viveu sua vida".

Depois de dizer essas palavras, o JP voltou a negociar e pediu a redução do preço dos escravos, conforme eles já haviam combinado anteriormente. O líder islâmico aceitou e surpreendeu o pastor com uma pergunta: "Você pode orar por mim? Meus rins estão falhando".

JP colocou as mãos sobre as costas do homem e orou pedindo a Deus por sua cura. No dia seguinte, os talibãs libertaram mais de 4 mil escravos cristãos.

O milagre não terminou por aí. No dia seguinte, onze clérigos muçulmanos entraram em um culto realizado pela igreja, junto com centenas de seus seguidores. No momento do apelo, centenas de muçulmanos aceitaram Jesus Cristo, incluindo um clérigo xiita.

Depois de reconhecer Jesus Cristo, o clérigo muçulmano relatou que teve uma visão de Jesus, vestido de branco, realizando uma cirurgia em seu coração doente. Na manhã seguinte, o clérigo procurou seu cardiologista, que depois de alguns exames confirmou: “Seu coração está normal".

Impactado com o poder de Deus, o clérigo muçulmano não apenas se converteu ao cristianismo, mas se voluntariou para espalhar a Palavra de Deus em seu país pedindo mil Bíblias em sua língua nativa. Sua esposa também abraçou a fé em Jesus Cristo.

veja também