Igrejas, mesmo oficializadas, continuam sendo perseguidas na China

"O que o governo está fazendo aqui é tão bárbaro", desabafou o líder da igreja local Chen Zhi'ai

fonte: guiame.com.br

Atualizado: Quinta-feira, 16 Outubro de 2014 as 11:10

China"Nós não sabemos exatamente por que eles invadiram a nossa igreja", relatou um cristão local ao grupo de vigilância International Christian Concern (ICC), que tem monitorado a crescente onda de perseguição na China. "O governo não quer que a gente se reúna para adorar como igreja."

Na China, apenas igrejas aprovadas pelo governo são consideradas legais, as igrejas domésticas são consideradas 'reuniões ilegais', mas, mesmo algumas igrejas consideradas oficiais têm sido alvo do governo.

Membros da igreja invadida recentemente disseram que não houve motivo para o acontecido e, mesmo assim, algumas pessoas foram detidas.

"É inacreditável que as autoridades locais tenham prendido mais de 100 membros da igreja, incluindo crianças, na cidade de Foshan. Mesmo que a maioria já tenha sido liberta, a experiência foi traumatizante", disse o gerente regional da ICC. “A Igreja Monte das Oliveiras tem mais de 20 anos de história e tem cerca de 170 membros”, acrescentou ele.

"O que o governo está fazendo aqui é tão bárbaro", desabafou o líder da igreja local Chen Zhi'ai à CNN.

Zhang Shaojie, pastor na China, foi condenado a 12 anos de prisão acusado de perturbar a ordem pública e com provas falsificadas.

"Este caso mostra que o governo chinês continua a encobrir a perseguição religiosa com acusações criminais fabricadas contra um líder de igreja inocente", disse o chefe China Aid, Bob Fu, na época.


com informações da Portas Abertas

 

veja também