Jordânia bombardeia o Estado Islâmico e diz que esse é apenas o começo da vingança

Depois da execução do piloto Muath al-Kasaesbeh, a Jordânia encerrou a trégua e voltou a atacar o grupo extremista

fonte: Guiame, com informações El País Brasil e France Presse

Atualizado: Sexta-feira, 6 Fevereiro de 2015 as 2:09

piloto sendo queimado pelo Estado Islâmico
piloto sendo queimado pelo Estado Islâmico

Nesta quinta-feira, 5 de fevereiro, a Jordânia retomou os bombardeios contra o Estado Islâmico, após 40 dias de trégua desde a captura do piloto jordaniano Muath al-Kasaesbeh.

Após o grupo radical ter executado o piloto, aparentemente queimado vivo, aviões militares jordanianos reiniciaram as operações contra o EI.

No retorno dos bombardeios os caças jordanianos sobrevoaram o povoado natal do piloto, em sua homenagem, enquanto o rei Abdullah II e sua mulher visitavam a família do militar morto.

"A resposta da Jordânia e seu Exército depois do que ocorreu com nosso querido filho será severa”, disse o rei da Jordânia sobre a retomada dos ataques.

Ao canal americano CNN, o ministro das Relações Exteriores, Naser Judeh, reiterou, nesta sexta-feira (6), a força que será investida contra o grupo radical.

"A Jordânia perseguirá com todas as forças a organização onde quer que esteja (...) Os ataques são apenas o início de nossa vingança pelo assassinato do piloto."

veja também