Jovem advogada abandona serviço público para se tornar missionária

Wládvia ouviu falar pela primeira vez do projeto pela primeira vez em 2013 quando ela era servidora pública e sonhava em prestar concurso público para se tornar juíza.

fonte: Guiame, com informações do site Notícias Adventistas

Atualizado: Quarta-feira, 13 Julho de 2016 as 2:35

Em fevereiro deste ano, Wládvia Magdalla embarcou para Santiago (Chile) para participar do projeto "Um Ano em Missão". A advogada que tem 28 anos e mora em Recife decidiu participar do programa que incentiva e apoia jovens adventistas a dedicarem um ano de serviço integral a Deus.

Wládvia ouviu falar pela primeira vez do projeto pela primeira vez em 2013 quando ela era servidora pública e sonhava em prestar concurso público para se tornar juíza. Na época, ela participou da Comissão Diretiva da Divisão Sul-Americana, na Argentina e por esse motivo acabou tomando conhecimento do projeto.

O “Um ano em Missão” estava para começar na América do Sul pelo Uruguai. A advogada foi convidada pelos pastores para participar da missão, mas logo respondeu que não poderia pelo fato de ter vínculos no Brasil.

Resposta em oração

A jovem resolveu orar para saber se aquela era a vontade de Deus. Wládvia queria saber se deveria abandonar tudo para servi-lo. Em sua oração, a advogada pediu que, se de alguma forma, sentisse que esse era o plano de Deus para sua vida iria aceitar, mas se fosse apenas vontade humana não gostaria de embarcar. Durante esse período, ela estava lendo o livro “Como conhecer a vontade de Deus”, e acredita ter ouvido o chamado dEle para se tornar missionária.

Apesar disso, ela teve algumas preocupações. A primeira foi como ela contaria isso para sua família que não era adventista. Mas, para sua surpresa, ela foi bastante apoiada por sua mãe. Ela afirmou que Deus faria Wládvia feliz aonde quer que fosse, sempre que estivesse fazendo a vontade do Pai. Para isso, ela teve de mudar algumas coisas. Deixou para trás o apartamento alugado, o carro e o escritório.

Bênção na família

Com sua decisão de ser missionária, a advogada se surpreendeu quando viu sua família sendo transformada. Sua mãe que tinha comércio próprio começou a fechar aos sábados e passou a ir à igreja com o marido. “Esse foi o maior milagre que aconteceu quando eu decidi vir à missão. Deus mostrou que está cuidando da minha família enquanto eu cuido dos filhos dEle aqui em Santiago”, afirma.

Os frutos do trabalho missionário

Wládvia trabalha voluntariamente em bairros nobres e pobres de Santiago há quatro meses. Ela dá aulas de português e estudos bíblicos para pessoas interessadas. Além disso, ela trabalha em centros de influências e atua no clube de desbravadores. Gosta de pregar nas igrejas, participa do culto jovem e se envolve em serviços sociais.

“A cada minuto, 102 pessoas morrem no planeta, então é urgente compartilhar a salvação, especialmente em um mundo onde quatro bilhões de pessoas não são cristãs”, disse Wládvia. Ela acredita que cada cristão tem uma tarefa individual a cumprir, e por isso decidiu se dedicar ao projeto missionário voluntário em uma das cidades mais secularizadas da América do Sul.

O projeto termina em dezembro e Wládvia pretende ficar na capital até essa data. Para ela, anunciar a volta de Jesus é uma experiência magnífica, pois “significa a solução para todos os problemas sociais, a cura para todas as enfermidades e a esperança para todas as pessoas”. A jovem já decidiu que a partir de agora quer viver uma vida em missão e ir aonde Deus mandar.

Confira o testemunho em espanhol

veja também