Jovens usam o basquete para pregar o Evangelho em presídios da Espanha

Jovens cristãos se reúnem nos presídios para ter um tempo de qualidade com os detentos, praticar seu esporte favorito e mostrar os valores cristãos.

fonte: Guiame, com informações de Evangelical Focus

Atualizado: Sexta-feira, 3 Março de 2017 as 3:32

Membros do grupo "Prison Ball” durante partida com jovens detentos, na Espanha. (Foto: Joan Marc Cots)
Membros do grupo "Prison Ball” durante partida com jovens detentos, na Espanha. (Foto: Joan Marc Cots)

Com suas mochilas, tênis e camisetas, jovens de diferentes igrejas evangélicas se reúnem duas vezes por mês em Barcelona, na Espanha, para aparentemente jogar basquete. No entanto, a quadra do esporte é localizada em um ambiente inusitado: no centro penitenciário de Quatre Camins, no município de La Roca del Vallès.

Arnau Escapa, coordenador da atividade, afirma que a experiência nas prisões não são como Hollywood apresenta. Dentro do presídio, um oficial é o único escudo que garante a proteção do grupo. "Na verdade, esta é uma das primeiras coisas que surpreendem as pessoas que nos acompanham", disse Arnau.

Alguns membros do grupo "Prison Ball” — nome que escolheram para o ministério — tiveram a vida transformada nos seis anos que passaram visitando a prisão. No entanto, os objetivos permanecem os mesmos: ter um tempo de qualidade com os jovens internos, praticar seu esporte favorito e mostrar os valores cristãos.  

"O educador do grupo contou que esses jovens tendem a ter um comportamento mais positivo, embora isso não signifique que eles não irão se envolver em problemas. Afinal, é uma prisão", disse Arnau.

No momento em que a bola é lançada no ar, apenas duas equipes de jovens participam de uma intensa partida.  "Eles são um pouco desorganizados, precisam de ordem tática, mas têm uma boa condição física", observa Arnau, acrescentando que os reclusos jogam contra os voluntários, porque esse tipo de jogo "os motiva mais". No entanto, às vezes os jogadores se misturam "para reduzir a tensão".   

Construindo confiança

Embora o tempo gasto com os presos seja relativamente curto, uma relação de confiança foi construída entre eles. "Ainda temos contato com alguns dos caras que cumpriram sua sentença e estão trabalhando arduamente para refazer suas vidas", conta Arnau.

Por outro lado, é frustrante para os voluntários verem pessoas de volta na prisão. "Eles contam que eles estavam num bar e uma briga estourou, então eles foram enviados de volta ao centro. Muitos deles não conhecem outro tipo de vida", explica o coordenador.   

O projeto faz parte do Ministério das Prisões do Conselho Evangélico da Catalunha, que também organiza cultos de adoração nas prisões. Além disso, a ação funciona em parceria com a organização Atletas em Ação.

veja também