Líderes temem que aplicação da lei islâmica elimine o cristianismo do Sudão

Conforme a lei sudanesa, missionários são proibidos de evangelizar. Além disso, qualquer pessoa que se converte do islã para outra religião pode ser preso ou receber pena de morte

fonte: guiame.com.br

Atualizado: Segunda-feira, 7 Abril de 2014 as 10:46

SudãoOmar al-Bashir, presidente do Sudão, declarou que a constituição do país terá bases ainda mais profundas na Sharia (lei islâmica).

Diante dessa informação, o Ministério de Orientação Religiosa do Sudou ameça prender líderes de igrejas que não interromperem suas atividades evangelísticas e não cumprirem a ondem de passar às autoridades seus nomes e contatos.

"Nós tomaremos medidas legais contra pastores que estão envolvidos em pregações ou atividades religiosas", afirmou Omar.

O pastor Yousif Matar disse que a situação que a Igreja enfrenta no Sudão é crítica. Outro líder cristão disse que a ordem faz parte de uma série de medidas do governo para controlar as igrejas. "Eles não querem que pastores do Sudão do Sul dirijam qualquer atividade eclesiástica ou missionária no Sudão", confirmou ele.

Conforme a lei sudanesa, missionários são proibidos de evangelizar. Além disso, qualquer pessoa que se converte do islã para outra religião pode ser preso ou receber pena de morte.

Os líderes cristãos do Sudão temem que o governo exerça controle sobre as Igrejas e aplique a lei islâmica para eliminar de vez o cristianismo do país.

Pedidos de oração

- Interceda pelas lideranças cristãs do Sudão, para que tenham sabedoria para lidar com essa pressão do governo.

- Ore para que tantos os líderes como os demais cristãos perseverem na fé, diante de um governo tão hostil.


com informações da Portas Abertas
O texto acima foi retirado do site do Domingo da Igreja Perseguida (DIP) 2014

veja também