Magno Malta critica decisão de limitar a ação da religião na recuperação de drogados

É mantido por contribuição de fiéis e eles ainda querem barrar!”, desabafa o parlamentar

fonte: guiame.com.br

Atualizado: Segunda-feira, 25 Agosto de 2014 as 11:21

Magno MaltaNo Plenário, o senador Magno Malta (PR-ES) usou seu espaço para denunciar a decisão do Conselho Nacional de Políticas sobre Drogas (CONAD) que visa impedir o uso de religião no tratamento de usuários de drogas.

Magno Malta, que sustenta um centro de tratamento no estado Espírito Santo há 35 anos, ficou inconformado com a resolução principalmente quando o texto diz que o Governo Federal destina 85 milhões por ano para auxiliar essas entidades. “Os meus internos comem da minha música, dos meus direitos autorais”, afirmou o senador que controla o projeto Bem Viver recuperando milhares de usuários de drogas em mais de três décadas.

A resolução fala de seguir um tratamento sem a obrigação de declarar uma religião. "A pessoa não pode ser compelida a aderir uma fé. Ela pode seguir o tratamento sem esse componente", diz Vitore Maximiano, secretário nacional de Políticas sobre Drogas, que participa da elaboração do documento.

A medida é dirigida exclusivamente a entidades sustentadas por instituições religiosas e o parlamentar a considera uma medida bolivariana do atual governo.

Magno Malta ainda desafia o governo a mostrar relatórios de usuários de drogas recuperados pelo próprio governo. “Sabe qual é o remédio? É Deus de manhã, Jesus meio-dia e o Espírito Santo de noite", afirma.

“É mantido por contribuição de fiéis e eles ainda querem barrar!”, desabafa o senador.


com informações do sbt

 

 

veja também