Mais de 125 mil pessoas assinam petição para libertar pastor preso na Coreia do Norte

Pastor da Igreja Presbiteriana Luz, de 3.000 membros, localizada na região de Toronto (Canadá), Hyeon Soo Lim foi para a Coréia do Norte em janeiro de 2015 como parte de uma viagem missionária. Após ser condenado à prisão perpétua, ele tem cumprido sua pena em um campo de trabalhos forçados.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Segunda-feira, 25 Janeiro de 2016 as 4:29

Mais de 125 mil pessoas já assinaram uma petição online, pedindo pela libertação de um pastor canadense, atualmente preso pelo governo comunista da Coreia do Norte (RPDC).

O Rev. Hyeon Soo Lim - um pastor de 60 anos de idade que nasceu na Coréia do Sul e naturalizou-se canadense - foi condenado a prisão perpétua no mês passado e atualmente cumpre sua pena, sendo submetido pelas autoridades Coreia do Norte a trabalhos forçados.

Uma petição lançada pelo site 'change.org' pede ao Secretário-Geral das Nações Unidas Ban Ki-moon, ao primeiro-ministro do Canadá Justin Trudeau, e ao ministro de Negócios Estrangeiros do Canadá Stephane Dion, que usem de suas funções / competências para libertar o Rev. Lim.

"O governo canadense e as Nações Unidas têm de tomar medidas fortes, positivas agora. Se houver vontade política, o pastor Lim pode ser resgatado", diz um trecho da petição.

"Poucos de nós têm a coragem e dedicação para colocar em risco a nossa vida e liberdade pelo bem daqueles que necessitam. Mas todos nós podemos ajudar com #bringlimhome #freepastorlim. Por favor, assinem e compartilhem!".

Pastor da Igreja Presbiteriana Luz, de 3.000 membros, localizada na região de Toronto, Lim foi para a Coréia do Norte em janeiro de 2015 como parte de uma viagem missionária.

Em fevereiro do ano passado (2015), a família e os amigos de Lim tinha perdido o contato com o pastor Lim e mais tarde foi revelado que o pastor havia sido preso por agentes norte-coreanos.

A estação de mídia 'KCNA' (controlado pelo governo da Coreia do Norte) disse que Lim havia "[cometido crimes, como] atividades religiosas anti-RPDC, falsa propaganda entre os coreanos no exterior e [teve] parte ativa na operação de um grupo conservador grupo para seduzir e raptar cidadãos da RPDC [...] detidos em seus programas de 'desertores do Norte".

Em dezembro, cerca de 1.000 pessoas realizaram uma vigília de oração na igreja do Pastor Lim, no Canadá, clamando pela libertação do líder cristão.

No início deste mês, Will Ripley da CNN conseguiu entrevistar Lim na Coreia do Norte e o pastor disse que ele estava recebendo refeições regularmente e acompanhamento médico durante este tempo na prisão.

"Lim está preso em um campo de trabalhos. Ele parece ser o único preso ali. Ele não tem contato com quaisquer outros prisioneiros. Lim trabalha oito horas por dia, seis dias por semana, com intervalos para descanso, cavando buracos para o plantio de pés de maçã no pomar da prisão", informou a CNN.

"Há sempre dois guardas vigiando-o. Ele está cumprindo uma sentença de prisão perpétua com trabalhos forçados. Ele não tem nenhum contato com o mundo exterior".

A petição foi criada por Ji-Soo An, do curso de Direito das Universidades de Alberta e Hyun-Soo Lim, do curso de Direito da Universidade de Yale. Além da língua inglesa, a petição também está disponível em francês, coreano, chinês e japonês.

veja também