Mais de 300 mulheres e crianças capturadas pelo Boko Haram são resgatadas na Nigéria

As Forças Armadas anunciaram que 338 reféns foram socorridos, entre eles 192 crianças e 138 mulheres, durante resgate na terça-feira na região de Sambisa, um reduto dos militantes islamitas.

fonte: Guiame, com informações de G1

Atualizado: Quinta-feira, 29 Outubro de 2015 as 5:22

Mais de 300 mulheres e crianças, que estavam sob poder do Boko Haram, foram resgatadas por uma ação do exército nigeriano. (Foto: Nigerian Army / AFP)
Mais de 300 mulheres e crianças, que estavam sob poder do Boko Haram, foram resgatadas por uma ação do exército nigeriano. (Foto: Nigerian Army / AFP)

O exército nigeriano resgatou mais de 300 mulheres e crianças sequestradas pelo grupo terrorista Boko Haram na região nordeste do país, segundo informações anunciadas nesta quarta-feira (28). A operação militar apreendeu armas e munições do grupo, e 30 insurgentes foram mortos.

As Forças Armadas anunciaram que 338 reféns foram socorridos, entre eles 192 crianças e 138 mulheres, durante resgate na terça-feira na região de Sambisa, um reduto dos militantes islamitas.

As operações aconteceram em campos suspeitos de pertencer aos terroristas do Boko Haram nas cidades de Bulajilin e Manawashe, na região de Sambisa, reduto dos rebeldes islamitas.

A Força Aérea nigeriana declarou, na véspera, ter bombardeado depósitos de veículos e combustível do grupo em um esforço para deteriorar ao máximo seus recursos.

O grupo radical islâmico Boko Haram nasceu de uma seita que atraiu jovens do norte do país. Seus líderes são críticos em relação ao governo nigeriano e querem estabelecer a lei do Islâ no território. Além disso, condenam a educação ocidental e são contra mulheres frequentarem a escola.

Para Mohammed Yusuf, fundador da seita, os valores ocidentais, instaurados pelos colonizadores britânicos, são a fonte de todos os males sofridos pelo país.

Segundo diplomatas, membros do Boko Haram foram treinados pela AQMI (Al-Qaeda no Magrebe Islâmico) no norte do Mali entre 2012 e 2013. Além disso, afirmam que o grupo está presente no Níger, Chade e Camarões, países que serviriam de base para os militantes.

veja também