Mais de 400 mil pessoas pedem que cristã Asia Bibi seja absolvida da pena de morte

A paquistanesa Asia Bibi foi condenada à morte em 2010 sob acusações de blasfêmia contra o islamismo. Seu último apelo para absolvição será ouvido em outubro deste ano.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Quinta-feira, 25 Agosto de 2016 as 4:44

Filhas de Asia Bibi mostram foto da mãe, do lado de fora de sua casa. (Foto: Reuters)
Filhas de Asia Bibi mostram foto da mãe, do lado de fora de sua casa. (Foto: Reuters)

O Centro Americano para Lei e Justiça (ACLJ) e outros grupos estão pedindo que os cristãos de todo o mundo levantem suas vozes para apoiar Asia Bibi, uma cristã, mãe de cinco filhos, cujo apelo para ser absolvida da pena de morte será ouvido pela Suprema Corte do Paquistão, em outubro.

Bibi foi condenada à morte em 2010 sob acusações de blasfêmia [contra o islamismo], depois que duas colegas de trabalho a acusaram de insultar o profeta muçulmano, Maomé. No início desta semana, o Supremo Tribunal do Paquistão definiu uma data em outubro para a audição apelo final para determinar se a mulher será executada ou não.

O 'ACLJ' está pedindo aos cristãos que assinem uma petição, que já tem mais de 417.000 assinaturas, descrevendo o caso de Bibi como um "ultimato de violação dos direitos humanos" e apela para sua libertação.

O grupo conhecido por apoiar cristãos perseguidos em todo o mundo disse que a filial do Centro Europeu de Direito de Justiça no Paquistão conseguiu contato com o advogado de Asia Bibi, que confirmou a data de outubro para a audiência.

"Normalmente, leva cerca de três a cinco anos para um caso de chegar a uma audiência perante o Supremo Tribunal. Mas como o pedido de audiência inicial foi concedido, o caso será encaminhado ao secretário do tribunal para definir a data", explicou o ACLJ.

A audiência será crucial, uma vez que irá decidir se Bibi será condenada à morte, o que seria a primeira execução legal no Paquistão por um caso de blasfêmia.

Detalhes do caso de Bibi mostram que ela foi presa em junho de 2009, enquanto colhia frutas com um grupo de mulheres muçulmanas na cidade de Sheikhupura, na província de Punjab. As mulheres teriam ficado chateadas porque ela bebeu da mesma bacia de água que elas usavam. Na sequência de uma discussão, as mulheres muçulmanas foram para a polícia e acusaram Bibi de dizer algo como: "Meu Cristo morreu por mim, o que Maomé fez fazer por vocês?".

A mãe de 51 anos de idade esteve presa durante os últimos seis anos, o que colocou um holofote sobre as leis controversas de blasfêmia do Paquistão e levou vários grupos de vigilância de perseguição - como o próprio ACLJ, a Missão Internacional Portas Abertas e outros - a pedir sua liberdade.

Para saber mais e assinar a petição, acesse: https://aclj.org/persecuted-church/

 

veja também