Meninos-soldados são recrutados na América do Sul e sofrem com a violência

A Missão Portas Abertas chama a atenção para a triste realidade desse povo

fonte: guiame.com.br

Atualizado: Terça-feira, 9 Dezembro de 2014 as 2:46

ColômbiaO Estadão divulgou essa semana um infográfico intitulado 'Meninos-Soldados', a respeito das crianças e adolescentes que são recrutados por milícias e forças armadas em países como Colômbia, Paraguai e Peru.

Arrancados de suas famílias, os meninos-soldados sul-americanos são submetidos a treinamento militar com armas pesadas e a doutrinamento ideológico por radicais à esquerda e à direita.

"Os meninos são preparados para serem futuros combatentes, enquanto que as meninas são usadas como objetos sexuais", diz ariella Villasante Cervello, antropóloga, pesquisadoras associada ao Instituto de Democracia e Direitos Humanos da Pontifícia Universidade Católica do Peru.

Os colombianos cristãos são um problema aos rebeldes e tornam-se alvo de ataques por alguns motivos. Um deles se refere aos preceitos cristãos, que fazem com que quem adora a Deus não pactue com as exigências da guerrilha, que ocupa grandes áreas nas montanhas do país; o outro, é que a Igreja mobiliza jovens e adolescentes para servirem ao Senhor e não à revolução armada, fazendo com que os grupos rebeldes tenham cada vez menos chances de recrutamento.

Um vídeo da Missão Portas Abertas mostra crianças marcadas pela violência e ex-guerrilheiros convertidos. Confira:

veja também