Mesmo sem acusações oficiais, pastores butaneses permanecem presos

Enquanto isso, as famílias dos dois pastores estão impedidas de pagar fiança até que o Procurador Geral conclua suas investigações e decida sobre o mérito das alegações

fonte: guiame.com.br

Atualizado: Terça-feira, 15 Abril de 2014 as 10:28

ButãoNo dia 5 de março, Tandim Wangyal e Mon Bdr. Thapa foram presos por policiais de Samtse, um distrito a oeste do Butão.

Eles foram detidos a caminho da Unidade Básica de Saúde Khapdani para levar uma criança doente.

Lyonpo Damcho Dorji, Ministro do Lar e Relações Culturais, diz que eles foram acusados criminalmente. "O caso está nas mãos do Procurador Geral" informou Dorji ao jornal local.

A acusação contra eles é de proselistismo, mas a informação é que eles lidavam apenas com convertidos e não com não-cristãos.

Ambos com base na capital Thimphu, os pastores estavam conduzindo um seminário de três dias em uma igreja doméstica em Dorokha, Samtse. O treinamento começou no dia 4 de março com cerca de 15 cristãos participantes.

As autoridades receberam reclamação de um dos vizinhos. Os familiares dos dois só foram avisados da prisão seis dias depois.

Nenhuma acusação oficial foi proposta contra Tandin e Thapa. Enquanto isso, as famílias dos dois pastores estão impedidas de pagar fiança até que o Procurador Geral conclua suas investigações e decida sobre o mérito das alegações.


com informações da Portas Abertas

 

veja também