Missionária que ajudou a salvar dezenas de crianças da fome é assassinada a tiros no Haiti

A missionária teve o seu carro barrado por criminosos, que a mataram a tiros e sequestraram um garoto de 4 anos, que estava com ela.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Quarta-feira, 14 Outubro de 2015 as 9:28

A igreja disse que Edwards era administradora e "Mãe" na Casa de Crianças Sonlight, em Porto Príncipe, onde dezenas de crianças receberam a assistência social ao longo dos anos.
A igreja disse que Edwards era administradora e "Mãe" na Casa de Crianças Sonlight, em Porto Príncipe, onde dezenas de crianças receberam a assistência social ao longo dos anos.

A missionária americana que se tornou uma mãe para crianças órfãs no Haiti e ajudou a salvar dezenas de outros da fome por meio de um programa de nutrição foi violentamente morta a tiros no último sábado (10), enquanto um de seus filhos, que estava viajando com ela foi seqüestrado.

A Polícia Nacional do Haiti informou que a missionária Roberta Edwards, de 55 anos, que era afiliada à Igreja de Cristo Estes, em Henderson, Tennessee (EUA) foi baleada em seu carro e uma criança de 4 anos de idade foi raptada, de acordo com a NBC News.

Segundo um comunicado divulgado pela igreja no último domingo (11), testemunhas relataram que "o carro de Roberta foi parado por um outro veículo que intencionalmente bloqueou seu caminho. Pistoleiros armados saíram do veículo e dispararam contra o carro de Roberta, matando assim a missionária".

A igreja disse que Edwards era administradora e "Mãe" na Casa de Crianças Sonlight, em Porto Príncipe, onde dezenas de crianças receberam a assistência social ao longo dos anos. Ela também dirigiu um centro de nutrição que alimenta 160 crianças, com duas refeições por dia, cinco dias por semana, além de financiar os estudos destas. No dia de sua morte, Edwards estava prestando cuidados a 20 crianças em sua casa.

"Roberta era uma luz para aqueles na comunidade e dedicada a trazer esperança aos desesperados. Ela sabia que trabalhava em um ambiente perigoso, mas havia se comprometido a cuidar das crianças no Haiti, apesar desses riscos", observou a igreja em sua declaração.

"Roberta recebeu sua recompensa por sua dedicação ao serviço do Senhor no Haiti. Ela fará falta no Haiti para seus filhos, para a comunidade e os amigos. Ela vai fazer falta aqui nos Estados Unidos como um encorajamento e inspiração para todos nós. A nossa intenção é honrar sua memória, continuando a batalha contra Satanás no Haiti e avançando na obra do Reino de Deus", acrescentou.

Amigo de Edwards, o professor e membro aposentado da Universidade Middle Tennessee State da Igreja de Cristo North Boulevard em Murfreesboro, Bobbie Solley esteve no Haiti em razão de um trabalho missionário, quando Edwards foi assassinada.

"Ela era uma mulher fabulosa... Sua única preocupação eram as crianças do Haiti e os filhos que estavam sob os cuidados dela", disse Solley ao 'The Jackson Sun'.

Jesse Robertson, uma ministra da Igreja de Cristo Estes e supervisora de estudos de pós-graduação e extensão em na Universidade Freed Hardeman disse que Edwards recentemente havia comprado uma casa em Henderson e tinha falado sobre aposentadoria, mas ainda não estava pronta.

"Ela tinha falado em se aposentar", Robertson disse ao 'The Jackson Sun'. "Mas ela não estava pronta para fazer isso".

Solley, que voltou do Haiti para os EUA no domingo, disse que ela estava hospedada em uma guest-house, do Ministério Sonlight, como parte de seu trabalho como diretora de desenvolvimento de educação internacional com o projeto 'Healing Hands International', uma agência missionária de Nashville (EUA).

Ela disse que passou o sábado à noite com Edwards e que a missionária deixou a guest-house por volta de 20h30. Ela disse que se deitou, mas foi acordada horas mais tarde com a notícia de que sua amiga tinha sido assassinada e um dos três garotos que estavam viajando com ela estava desaparecido.

"Dois dos rapazes ficaram longe dos atiradores e correram para ajudar ...", disse Solley. "Um menino de 4 anos de idade foi levado. Nós não ouvimos uma palavra sobre ele ainda".

A porta-voz do Departamento de Estado Katy Bondy confirmou a morte de Edwards com a NBC News e disse que as autoridades norte-americanas estavam fornecendo a assistência consular possível à sua família.

"Oferecemos nossas condolências à sua família e entes queridos em sua perda", disse Bondy em um comunicado. O comunicado não forneceu mais detalhes.

veja também