Morto em ataque aéreo, líder da Al-Qaeda já convocou seguidores a “eliminar a cruz”

Nasir al-Wuhayshi, morto em um ataque por drones americanos, foi a perda mais pesada do grupo terrorista desde a morte do líder Osama bin Laden.

fonte: Guiame, com informações de The Christian Post

Atualizado: Terça-feira, 16 Junho de 2015 as 9:04

Nasir al-Wuhayshi foi morto em um ataque por drones americanos no Iêmen.
Nasir al-Wuhayshi foi morto em um ataque por drones americanos no Iêmen.

 

Nasir al-Wuhayshi, reconhecido como o segundo comandante da Al-Qaeda, foi morto em um ataque por drones americanos no Iêmen, marcando a mais pesada perda do grupo terrorista desde a morte do líder Osama bin Laden.

Al-Wuhayshi liderou a Al-Qaeda na Península Árabe, que é uma das alas mais ativas do grupo terrorista.

O grupo terrorista divulgou um vídeo comunicando a morte do líder nesta terça-feira (16), anunciando que o chefe militar Qasm al-Rimi será seu substituto.

Segundo autoridades iemenitas, al-Wuhayshi e mais dois de seus auxiliares foram mortos em um ataque aéreo em Mukalla, localizado na província de Hadramawt, sudeste do Iêmen.

Al-Wuhayshi fez muitas declarações provocativas durante o seu tempo de liderança. Em abril de 201, disse aos seguidores no Iêmen: "Temos que eliminar a cruz. O portador da cruz é a América!"

Sua frase ecoou em um vídeo divulgado pelo grupo terrorista Estado Islâmico (EI) no início deste ano, quando decapitaram 21 cristãos coptas na Líbia, intitulado "uma mensagem assinada com sangue para a Nação da Cruz."

Enquanto o EI cresceu significativamente no último ano e conquistou território na extensão do Iraque e Síria, a Al-Qaeda tem se recusado a jurar lealdade ao EI, e tem sido empurrada para a margem.

veja também