Mulher é morta pelo Estado Islâmico por ir ao mercado sozinha, com o rosto à mostra

Mulheres e crianças, sendo muçulmanas ou não, têm sido alvo frequente da violência do grupo extremista.

fonte: Guiame

Atualizado: Terça-feira, 10 Novembro de 2015 as 3:24

Mulheres e crianças, sendo muçulmanas ou não, têm sido alvo frequente da violência do grupo extremista. (Foto: Reprodução/ Veja)
Mulheres e crianças, sendo muçulmanas ou não, têm sido alvo frequente da violência do grupo extremista. (Foto: Reprodução/ Veja)
Um vídeo compartilhado nas redes sociais tem causado indignação por suas fortes cenas e uma realidade cruel imposta pelo Estado Islâmico no Oriente Médio. Uma mulher muçulmana foi executada por um grupo de militantes apenas por estar indo ao mercado sozinha sem cobrir toda a cabeça.
 
As informações foram divulgadas pela página Israel Brasil, no Facebook. Centenas de comentários de repúdio contra o ato foram expressados na postagem do vídeo.
 
Mulheres e crianças, sendo muçulmanas ou não, têm sido alvo frequente da violência do grupo extremista. Em novembro do ano passado o jornal britânico Daily Mail publicou uma reportagem que mostra de perto o mercado de escravas sexuais no mundo muçulmano. As 'mercadorias' são mulheres e crianças cristãs e yazidis.
 
A denúncia foi fomentada porque foi encontrado no celular de um militante do Estado Islâmico um vídeo que revela como funciona a venda de mulheres capturadas pelos radicais.

Segundo o jornal, existe uma tabela de preços quem variam nos leilões no Iraque. Quanto mais nova a mulher, maior o valor cobrado. No vídeo, os militantes avisam que mulheres bonitas e de olhos claros são mais caras. Em outro momento, um deles diz que isso 'está escrito', fazendo referência ao Alcorão.

Na Dabiq, revista de propaganda do Estado Islâmico, o grupo admitiu abertamentamente, pela primeira vez, que entrega essas mulheres como prêmio de guerra. 
 
Atenção: Esse vídeo contém cenas fortes.
 
O TERROR, SOMENTE O TERROR, NADA MAIS QUE O TERROR!

O TERROR, SOMENTE O TERROR, NADA MAIS QUE O TERROR! (18+)Mulher é executada apenas por estar sozinha indo ao mercado e por não cobrir toda a cabeça.

Posted by Israel Brasil on Segunda, 9 de novembro de 2015

'Teologia do estupro'

Uma reportagem investigativa publicada pelo New York Times em agosto descobriu que muitos soldados do EI acreditam em uma suposta 'teologia do estupro', afirmando que abusar sexualmente de crianças e jovens serve como uma "oração" a Alá.

O relatório, baseado em entrevistas com 21 mulheres e meninas que escaparam do cativeiro no Iraque, revelou que os jihadistas procuram justificar suas atrocidades com ajuda do Alcorão, o livro sagrado islâmico.

"Ele me disse que de acordo com o Islã, está autorizado a estuprar um incrédulo. Ele disse que poderia até me estuprar e assim estaria chegando mais perto de Deus [Alá]", disse uma garota de anos de idade 12, ao comentar sobre seu sofrimento no cativeiro do EI.

Uma mulher de origem yazidi (minoria étnico-religiosa curda) que fugiu de um dos cativeiros do grupo terrorista Estado Islâmico afirmou que centenas de outras mulheres estão cometendo suicídio, em vez de se submeterem a escravidão sexual, imposta pelos jihadistas, em um cativeiro da região de Sinjar - norte do Iraque.

"Centenas de meninas têm cometido suicídio", disse Saeed Ameena Hasan em uma reportagem da CNN. "Eu tenho algumas fotos das garotas que cometeram suicídio ... elas o fazem quando perdem a esperança de serem resgatadas e quando o Estado Islâmico muitas vezes as vende e as estupra ... Eu acho que haja talvez 100 delas. Perdemos contato com a maioria", acrescentou.

veja também