Na Colômbia, cristão é libertado da prisão, mas é obrigado a trabalhar para as autoridades

O valor recebido pelo trabalho obrigatório não pode ser usado para o sustento da esposa e filhos

fonte: Guiame, com informações da Portas Abertas

Atualizado: Sexta-feira, 9 Janeiro de 2015 as 10:58

colômbia
colômbia

Após passar três anos na prisão por sua fé em Jesus, o cristão Jaime Tenório agora terá que trabalhar para as autoridades indígenas.

Tenório foi libertado oficialmente em 29 de novembro, depois de três anos em uma prisão de segurança máxima na Colômbia por também recusar enviar os filhos a uma escola indígena tradicional.

As autoridades decidiram que ele teria que cumprir mais um ano, e como castigo, ele deve realizar o trabalho agrícola em uma fazenda localizada na cidade de Piendamo, a quatro horas de distância de sua casa.

Jaime afirmou que ficou alegre pela libertação, mas que ficou aflito com a obrigatoriedade de trabalhar para as autoridades, pois o valor recebido pelo trabalho não pode ser usado para o sustento da esposa e filhos.

Ele então exigiu que as autoridades respeitassem as políticas indígenas normais e fornecessem alimentos e educação para sua família (direitos que lhes são negados por serem cristãos).

De acordo com informações obtidas pela Portas Abertas por meio de seu filho mais velho, Ferney, as autoridades indígenas apenas libertaram Jaime para evitar pressões do Ministério Público. Cristãos afirmam que Jaime foi preso injustamente, sem julgamento ou qualquer prova de que ele cometeu algum ato que justificasse sua prisão.

 

veja também