Na Índia, líder político fala sobre o sistema de castas, preconceito e religião

"Pretender que o sistema de castas não afete as religiões, é querer enganar os cidadãos da Índia”, diz Gehlot

fonte: guiame.com.br

Atualizado: Segunda-feira, 29 Dezembro de 2015 as 9:37

ÍndiaEnquanto os estados indianos de Maharashtra e Haryana estavam prestes a realizar suas eleições, o jornal Times da Índia entrevistou Gehlot, um membro do gabinete do novo primeiro-ministro Narendra Modi.

Na oportunidade, ele falou sobre a demanda de décadas atrás para estender o “status das castas" para os dalits cristãos e muçulmanos do país, proporcionando-lhes, assim, o mesmo acesso aos recursos disponibilizados para indianos hindus, sikhs e budistas.

Segundo Gehlot, alguns hindus se converteram a outras religiões porque nelas não existia diferencias para os 'intocáveis'. Os problemas enfrentados pelos dalitis (intocáveis) têm sido resolvidos com a conversão, por isso Gehlot acredita que eles não deveriam pedir mais um status de castas.

"Ninguém pode escapar do sistema de castas indiano através da conversão a outras religiões. Após a conversão, eles não vivem no vácuo, mas sim dentro de um sistema de castas”, disse o Rev. Raj Sunil Philip, secretário-executivo da Comissão de Dalits no âmbito do Conselho Nacional de Igrejas na Índia, em um comunicado no mês de outubro.

"O ministro procura encobrir o fato de que o sistema de castas na Índia é um produto do hinduísmo e que se espalhou para toda a matriz social da Índia", disse Philip, pastor da Igreja do Sul da Índia.

E Gehlot complementa: “pretender que o sistema de castas não afete as religiões, é querer enganar os cidadãos da Índia”.

"Se os cristãos ou muçulmanos têm ou não têm um sistema de castas não é a questão. O fato é que a identidade de castas é, até hoje, uma identidade dominante na Índia e traz consigo diferentes esferas de discriminação” dia o Reverendo Kumar Swamy, secretário nacional do Conselho Cristão da Índia à World Watch Monitor.

Para o The Times of India, Gehlot disse que expandir o espaço entre as castas para cristãos e muçulmanos "proporcionaria um estímulo para as conversões religiosas”.


com informações da World Watch Monitor / Portas Abertas

 

veja também