Não brinque com o seu voto

Quem não gosta de política é governado por quem gosta

fonte: guiame.com.br

Atualizado: Quarta-feira, 10 Setembro de 2014 as 9:52

eleiçãoÉ nosso dever estimular a todo brasileiro a -fazer o que estiver ao seu alcance- para que seu voto ajude o nosso país a se livrar de quem não tem competência nem caráter para nos representar.

Sugerimos os seguintes critérios para a escolha do seu candidato:

1. Metas mensuráveis. O que ele pretende objetivamente fazer?

2. Cronograma para suas metas. Quando ele pretende cumprir o que prometeu?

3. Compromisso de sacar da atividade pública quem não alcançou as metas nos prazos estabelecidos. Ele vai demitir os incompetentes?

4. Foco no combate à pobreza. Ele sente repulsa pela desigualdade social? Tenciona levar oportunidade de vida para a favela e o sertão?

5. Tolerância zero com a violação dos direitos humanos. Ele está disposto a não permitir que o próprio Estado viole a santidade da vida humana?

6. Projeto para segurança pública. Qual o seu plano para a redução das mortes violentas no Brasil?

7. Transparência na administração e nos gastos públicos. Ele publicará com clareza nas redes sociais os gastos do seu governo?

8. Desempenho no passado. O que ele realizou quando teve a oportunidade de exercer a função pública?

9. Pensamento político-ideológico claro. Qual o ponto de vista político do candidato? Que valores norteiam sua atividade pública?

10. Autonomia para atuar na esfera pública em razão do seu passado limpo. Ele tem rabo preso?

Estamos diante de uma mar de péssimos candidatos. Bandidos e canalhas estão tendo suas campanhas bancadas por gente que um dia vai cobrar a conta.

Nem todos, contudo, são iguais! Há uns poucos que escapam. Faça pesquisa na internet. Procure se informar. Não ache bonito dizer que você não tem candidato e não se importa com quem vai ganhar as eleições.

Lá na ponta -caso não levemos a sério as eleições-, idosos continuarão morrendo em hospitais caindo aos pedaços, crianças viverão sem ter acesso a educação de qualidade, jovens terão sua vida interrompida pelo crime, presídios funcionarão como locais de tortura, bairros inteiros não terão acesso a saneamento básico, estradas continuarão esburacadas, dinheiro público será jogado no ralo, viaduto desabará sobre a cabeça de trabalhadores, salários serão uma afronta à dignidade dos que se afadigam em trabalhos monótonos e continuaremos a ser a sétima economia do mundo e o 79º país do planeta em Índice de Desenvolvimento Humano, ou seja, vamos continuar vivendo, sem necessidade alguma!, muito mal.

Quem não gosta de política é governado por quem gosta.


- Antônio Carlos Costa

 

veja também