Não somos cegos

O mundo precisa saber que o chamado país do futebol não é o país dos idiotas. A beleza dos jogos da Copa contrasta com o horror das condições sociais de milhões de brasileiros

fonte: guiame.com.br

Atualizado: Quinta-feira, 3 Julho de 2014 as 9:37

Ong Rio de Paz _ olhos vendadosO Rio de Paz realizará manifestação pública em frente ao Hotel Copacabana Palace, no próximo domingo, a partir das 14h.

Doze manequins, com os olhos vendados e vestidos com a camisa da seleção brasileira, serão postos nas areias da praia. Manifestantes participarão da manifestação às 15h, portando cartazes e bandeiras do Brasil manchadas de tinta vermelha. Às 16h será feito o "enterro" de 12 bolas de futebol pintadas com cruzes vermelhas. O ato público será encerrado com velas acesas às 17h30.

O objetivo da manifestação é declarar que o esplendor da Copa não cegou o povo brasileiro para todas as injustiças cometidas na organização do evento. O que está bem claro diante dos olhos até mesmo de milhões de torcedores da seleção?

1. União, Estados e Municípios erraram ao investirem dinheiro público no que não é prioritário. A Copa está para terminar, mas o povo brasileiro continuará convivendo com hospitais sem estrutura, escolas caindo aos pedaços e índices de violência absurdos.

2. Autoridades públicas mentiram para o povo brasileiro ao declararem que a Copa não seria realizada com dinheiro público. Além de verba pública ter sido usada, as obras saíram mais caras do que o que havia sido anteriormente divulgado, houve superfaturamento na construção dos estádios e gastou-se mais do que era necessário.

3. A Fifa deu um péssimo exemplo de responsabilidade social. Seu investimento em projetos sociais em áreas carentes do Brasil é pífio. Peça para a entidade dizer qual seu lucro líquido com a Copa e quanto já investiu no Brasil, país que deu sangue para a organização do evento esportivo.

"O mundo precisa saber que o chamado país do futebol não é o país dos idiotas. A beleza dos jogos da Copa contrasta com o horror das condições sociais de milhões de brasileiros. Não deixar isso claro significa insultar ao pobre, menosprezar os valores democráticos e macular a imagem do Brasil, uma vez que mais importante do que realizar a Copa das Copas é investir tempo e dinheiro no que promove a vida humana em todas as suas dimensões".


Antônio C. Costa
Rio de Paz

veja também