Nas Maldivas, cristãos sofrem perseguição e vivem como clandestinos

À medida que a população aumenta, cresce ainda mais a perseguição. Os novos convertidos enfrentam uma pressão enorme, tanto da família como da comunidade

fonte: guiame.com.br

Atualizado: Quinta-feira, 16 Outubro de 2014 as 2:29

MaldivasQuem nasce nas Maldivas, nasce muçulmano, por isso, oficialmente não há cristãos no país, apenas expatriados. O governo proíbe a conversão para outras religiões e, como forma de proteger o islã, tira a cidadania daqueles que desobedecem.

O cristianismo nas Maldivas é dividido em grupos de cristãos expatriados e um pequeno grupo de cristãos locais. No país, os cristãos são vítimas de todo tipo de perseguição e são obrigados a viver como clandestinos.

Embora, ambos os grupos não tenham liberdade para cultuar, os cristãos expatriados são, pelo menos, capazes de reunir-se em embaixadas se vivem na capital.

Importar Bíblia para as Maldivas é algo impossível, até os turistas ficam em difícil situação caso sejam flagrados portando algum exemplar da Palavra de Deus.

À medida que a população aumenta, cresce ainda mais a perseguição. Os novos convertidos enfrentam uma pressão enorme, tanto da família como da comunidade.

Consequentemente, não há cultos e, quando os cristãos se reúnem, todas as medidas de precaução possíveis são poucas para evitar a prisão. Alguns cristãos que foram descobertos tiveram de fugir para o exterior. Recentemente, uma mulher foi fortemente espancada e abusada quando seu marido descobriu que ela havia se convertido.

Pedidos de oração

Peça a Deus que haja encorajamento e comunhão para os poucos cristãos que vivem extremamente isolados.
Ore para que as portas se abram à Palavra de Deus.


com informações da Portas Abertas

 

 

veja também