No Iraque, família cristã já fugiu de extremistas islâmicos três vezes em oito anos

"Não podemos mais viver assim", diz a mãe

fonte: guiame.com.br

Atualizado: Sexta-feira, 12 Setembro de 2014 as 12:43

Iraque_família refugiadaNo mês de agosto de 2014, uma família fugiu pela terceira vez em oito anos de extremistas islâmicos.

A mãe, de aproximadamente 30 anos, conta que a primeira ameaça à família foi em 2006, enquanto viviam em Bagdá. "Vocês são cristãos, se ficarem, vamos matá-los", foi a ameaça que a família ouviu.

A família então fugiu, mas foi seguida pelos extremistas que empurram o carro da família para a beirada de um viaduto. Dois membros da família morreram. A mãe quase não sobreviveu ao acidente, sofrendo ferimentos graves na cabeça e ferimentos profundos no pescoço e no rosto. Seus dois filhos tiveram lesões físicas leves, mas um deles ficou tão traumatizado que não conseguiu falar ou andar por três dias.

Depois desse acontecido, a família mudou-se para Qaraqosh e lá ficou até junho deste ano. Ao saber que os os combatentes do Estado Islâmico (EI) estavam se aproximando de sua cidade, eles fugiram e foram para Erbil. Após três dias voltaram por saber que tudo já estava bem.

Até em 8 de agosto fugiram novamente após receberem a notícia que rebeldes estavam se aproximando de Qaraqosh. Desta vez, tinham menos de três horas para saírem antes da previsão de chegada dos rebeldes. Assim, tiveram de abandonar tudo, e fugir apenas com a roupa do corpo.

A mãe disse: "Se ficarmos, isso não vai parar de acontecer. No começo, queria ficar no Iraque, é a nossa casa, nós amamos esta terra, mas está demais. Não podemos mais viver assim".

A sogra acrescentou: "Deus nos enxugará todas as lágrimas e nos recompensará por tudo que perdemos, seremos compensados no céu. Esta é sempre a nossa esperança e fé!".


com informações da Portas Abertas

 

 

veja também