No twitter, postagens de fé do jornalista japonês decapitado continua inspirando seguidores

Kenji Goto, cristão desde 1997, utilizava sua página no twitter para expressar sua fé em algumas postagens.

fonte: Guiame, com informações de The Christian Post

Atualizado: Segunda-feira, 9 Fevereiro de 2015 as 9:17

 

O jornalista cristão Kenji Goto, um dos reféns japoneses que recentemente foi decapitado pelo Estado Islâmico do Iraque e da Síria, continua a inspirar multidões com a sua fé em Deus, com os seus últimos ‘tweets’. 

Em postagens anteriores, Goto indicava seu futuro nas mãos do Estado Islâmico despropositadamente. " Fechei os olhos para suportar. É o fim, se eu ficar louco ou gritar. Perto de uma oração. O ódio não é para os humanos. O julgamento pertence a Deus. Foi o que aprendi com meus irmãos e irmãs árabes", ele twittou em 2010.

Seu tweet reflete o apelo do Salvador de Deus na cruz para perdoar aqueles que o mataram. "Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem", disse Jesus em Lucas 23:34.

Twitter de Goto é preenchido principalmente com caracteres japoneses, mas havia alguns tweets em 2010 com agradecimentos a Deus pelos mineiros resgatados no Chile, e também expressou seu desejo de "fazer um mundo novo".

Goto se tornou um cristão em 1997 e era um membro da Igreja Denenchofu da Igreja Unida de Cristo no Japão.

Ele foi sequestrado pelo Estado Islâmico em outubro 2014 depois de entrar na Síria através da Turquia. Ele voltou para a Síria na esperança de resgatar seu amigo Haruna Yukawa, que foi sequestrado pelo ISIS em agosto de 2014. Ele foi o primeiro homem japonês decapitado publicamente pelo grupo radical islâmico.

Em uma foto que vazou, foi demonstrado que eles forçaram Goto a manter uma imagem da cabeça decepada de Yukawa em 24 de janeiro. "Já vi lugares horríveis e arrisquei minha vida, mas eu sei que de alguma forma Deus sempre irá me salvar", disse Goto.

veja também