Novo projeto de lei 'anti-conversão' pode ameaçar a liberdade religiosa no Nepal

A nova legislação do país aponta o ato de evangelizar como um 'desrespeito às liberdades individuais' de cada cidadão.

fonte: Guiame, com informações do Christian Head Lines

Atualizado: Quarta-feira, 15 Julho de 2015 as 12:18

Pastor Lazrus Rasaily é nepalês e atua como missionário em seu país, dando assistência a crianças em situação de risco.
Pastor Lazrus Rasaily é nepalês e atua como missionário em seu país, dando assistência a crianças em situação de risco.

As leis anti-conversão estão ameaçando a liberdade religiosa dos cidadãos no Nepal, de acordo com a organização 'Christian Solidarity Worldwide' (CSW).
 
Conforme uma legislação recentemente proposta no país, "Ninguém deve se comportar, agir ou realizar atividades que violem a ordem pública ou quebrem a paz pública / paz na comunidade, e ninguém deve tentar alterar ou converter alguém de uma religião para outra ou perturbar / pôr em perigo a religião dos outros. Tais atos / atividades estarão sujeitos a punição por lei".
 
O texto da legislação também afirma que o ato de evangelizar seria proibido porque "a opção religiosa é vista como uma escolha individual positiva ou como uma questão de direitos individuais".
 
Isto significa que os civis nepaleses poderiam ser punidos por lei, caso falassem sobre sua fé - o que seria interpretado como uma "tentativa de conversão".
 
Chefe executivo da CSW, Mervyn Thomas disse afirmou que a liberdade religiosa consiste justamente em poder optar por mudar de religião ou não.

"A liberdade de escolher e mudar de fé é um direito fundamental, que deve ser acolhidao como uma parte essencial de qualquer constituição que adere aos princípios internacionais de direitos humanos", destacou

O Nepal tem uma população de maioria hindu, composta por 28 milhões de pessoas. Os cristãos representam menos de dois por cento da população do país, segundo relatórios do 'Christian Today'.

Contradição
Fato é que o país sofreu recentemente com dois terremotos devastadores. Igrejas / missionários locais e de outros países se mobilizaram para apoiar as vítimas destas grandes tragédias, mas ao que tudo indica, o governo nepalês não vê os cristãos como agentes com grande poder de impacto social que verdadeiramente são.

Forte exemplo disto, é o missionário e pastor Lazrus Rasaily, que mantém um projeto para apoiar crianças em situação de risco no país. Após os dois terremotos, o líder cristão superou as próprias limitações - como a perda de sua própria casa e a necessidade de morar em uma barraca improvisada com sua família - para visitar os vilarejos mais necessitados e compartilhar as doações (alimentos, roupas, etc) que recebeu.

veja também