"O Estado Islâmico irá se curvar diante de Jesus", diz Franklin Graham

O pastor também afirmou que "faz parte da agenda do grupo terrorista" apressar o apocalipse.

fonte: Guiame, com informações do Christian Today

Atualizado: Quarta-feira, 18 Fevereiro de 2015 as 3:53

Com o levantar da mais alta brutalidade promovida pelos terroristas do Estado Islâmico, o pastor Franklin Graham disse que, um dia este mesmo grupo irá se curvar diante de Jesus.

Em um post publicado em sua página oficial do Facebook na última terça-feira, 17/02, Graham, presidente da Associação Evangelística Billy Graham e da missão "Samaritan's Purse", escreveu: "O mal do ISIS [Estado Islâmico] realmente não deveria chocar-nos - é totalmente de acordo com sua agenda final apressar o apocalipse de Deus. A Palavra nos diz que haverá uma batalha final de um dia, mas irá resultar na derrota de Satanás e todos os aliados com ele".

"Uma coisa é certa - um dia todo joelho se dobrará e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai".

Graham destacou o vídeo divulgado pela Estado Islâmico no último domingo, 15/02, mostrando a decapitação de 21 cristãos coptas na Líbia, assim como os disparos fatais na Dinamarca no fim de semana por um pistoleiro suspeito de ter sido inspirado pelo massacre contra o jornal satírico "Charlie Hebdo" em Paris.

O evangelista criticou o presidente norte-americano Barack Obama por não "reconhecer a verdade e chamar o extremismo islâmico do que ele de fato é".

"Depois de um fim de semana marcado pelo terrorismo na Líbia e na Dinamarca, a Casa Branca está hospedando a Cúpula de Luta contra o extremismo violento, que dura 3 dias. Estou perplexo quanto às razões pelas quais o nosso Presidente não vai reconhecer a verdade e chamar o extremismo islâmico do que de fato ele é", escreveu Graham.

"Em um comunicado da Casa Branca até chamou os 21 cristãos que foram degolados 'cidadãos egípcios', recusando-se a identificá-los como cristãos. A verdade é que seus assassinos bárbaros abertamente disseram que os matou porque aqueles 21 homens eram 'O Povo da Cruz'. Por que o presidente aparentemente continua a proteger o Islã e recusa-se a abrir os olhos para a verdade?", questionou o pastor

Na segunda-feira, Graham publicou um comunicado em sua página do Facebook, avisando que "a tempestade está chegando".

"Você pode imaginar o clamor se 21 muçulmanos fossem degolados pelos cristãos? Onde está a condenação universal por líderes muçulmanos de todo o mundo?", ele perguntou.

"Como estamos de luto com as famílias de 21 mártires, é melhor levar esse aviso a sério à medida que esses atos de terror só vão se espalhar por toda a Europa e os Estados Unidos. Se isso lhe diz respeito como acontece comigo, compartilhe. A tempestade está chegando".

Graham já havia encorajado os muçulmanos a se converterem e aceitarem a Cristo.

Em uma entrevista ao painel ao vivo da Fox News, em janeiro, ele falou: "Eu quero dizer uma coisa a todos os muçulmanos que podem estar assistindo a istoe, que estão confusos e temerosos. Eu quero que eles saibam que Deus os ama e que Jesus Cristo morreu por seus pecados - e Cristo vai perdoá-los e curar seus corações".

"E eles não têm que morrer em uma jihad, eles não tem que matar alguém para agradar a Deus. Deus os ama e que Ele irá aceitá-los através da fé e através em seu filho, Jesus Cristo".

Em uma entrevista ao Christian Today, em dezembro, Graham disse que o Islã é "uma religião de guerra".

Grupos extremistas como o Estado islâmico e Boko Haram não "sequestraram" a religião, acrescentou ele.

"Este é o Islã. Não foi 'sequestrado' por radicais. Esta é a fé, esta é a religião. É o que é. Ele fala por si".

veja também