O fim do cristianismo no Iraque?

Como um refugiado disse: “Nós queríamos Iraque. O Iraque que não quer a gente”

fonte: MAIS

Atualizado: Terça-feira, 30 Setembro de 2014 as 4:25

IraqueO presidente Obama, em parte de seu discurso do dia 10 de setembro, mencionou a necessidade de ajudar os cristãos e outras minorias, que foram expulsos de cidades e aldeias no norte do Iraque, a retornarem para suas casas. “Não podemos permitir que essas comunidades sejam expulsas de sua antiga terra natal”, disse ele.

Obama entendeu errado. Cristãos, dos quais cerca de 120 mil se refugiaram no Curdistão iraquiano, não estarão indo para casa, mesmo que seus algozes desaparecessem de repente.

Em uma conversa com refugiados cristãos, este mês, em Irbil, a capital da região autônoma do norte do Curdistão, eles falaram de forma enfática que não vão voltar a Mosul e cidades próximas conhecidas como a planície de Nínive.

Não é simplesmente por que estes cristãos passaram por um enorme trauma. Não é só porque eles perderam tudo, inclusive suas casas e negócios e, em alguns casos, passaram dias e mesmo semanas na prisão sendo atormentados a se converterem ao Islã.

Não, é porque, para os cristãos no Iraque, nos últimos três meses foram o clímax de 11 anos de inferno. Vale a pena relembrar que os cristãos no Iraque começaram a ter problemas sérios dentro de um ano após a queda de Saddam Hussein em 2003. Às vezes era o trabalho da al-Qaeda, ou dos insurgentes sunitas, ansiando pelo retorno do controle sunita do Iraque. Às vezes era militares xiitas lutando contra os sunitas, e ainda sim encontrando tempo para perseguir os cristãos.

Então, quando perguntei aos refugiados o seus planos, a resposta é unânime: deixar o Iraque completamente. Já é o bastante. É triste mas é verdade: o cristianismo no Iraque acabou. Como um refugiado disse: “Nós queríamos Iraque. O Iraque que não quer a gente”.
Vamos orar por esses irmãos e irmãs em Cristo, que eles possam ser consolados por Deus nesse momento tão difícil de suas vidas. Existe uma igreja que sofre todos os dias e nós somos chamados a dar voz a essa igreja e ser a resposta.

#pelaIgrejaSofredora


Fonte: Jpost/MAIS

 

veja também