"A oração é uma batalha", afirma pastor que exerce ministério no Vietnã

"Uma vida sem oração não é pecado, mas pode facilmente levá-lo a pecar. Isso porque quando você não ora, está longe de Deus, e quando está longe de Deus, é fácil pecar", diz ele

fonte: guiame.com.br

Atualizado: Segunda-feira, 15 Setembro de 2014 as 2:30

pastorNo Vietnã, o pastor Barnabé* tem experimentado as dores e alegrias de exercer o ministério.

Ele renunciou a um negócio lucrativo para começar uma igreja no local e vive suportando perseguições. Chegou até a ficar exilado durante anos na Tailândia.

Em entrevista à Portas Abertas ele compartilha sua história e fala sobre a vida ministerial e pessoal. Confira:

Portas Abertas: Pastor Barnabé, o que a oração significa para você?
Barnabé: A oração é a essência do crente. Quando um pastor ora, adquire coragem e confiança para enfrentar situações difíceis. A oração faz você entender a diferença entre o difícil e o impossível. Deus te dá habilidade para fazer o difícil - vai te orientar e capacitar. No caso do impossível, Ele te separa e deixa você apenas assistindo – Ele toma conta da situação.

Portas Abertas: Qual a importância da oração para a vida de um ministro?
Barnabé: A oração deve ser prioridade. Desde que me tornei um cristão, eu sempre procurei começar o meu dia orando. Quando eu me ajoelho para oferecer o meu louvor e súplica a Deus, minha mente atribulada encontra respostas e soluções para os meus problemas. Deus sempre me mostra o caminho quando eu me chego a Ele em oração.

Acabei de ter uma experiência maravilhosa que ilustra isso. Há alguns meses, tive um problema na minha igreja que me afetou muito. Havia um pastor que servia fielmente a Deus, mas seu filho causava muito sofrimento e dor para ele e sua igreja local. Isso realmente afetava o ministério do pastor. Tentei muitas vezes encontrar e conversar com seu filho. Mas sempre ele fugia.

Há algumas semanas, o menino ficou gravemente doente. Quando fiquei sabendo, reuni os irmãos que trabalham comigo. Eu os desafiei: "Se não pudermos levar este menino ao Senhor, isto significa que o nosso ministério falhou." Então, oramos fervorosamente pelo menino. Ele se recuperou. Fiquei sabendo que ele começou a ir à igreja.

Deus assume o comando quando falham os nossos esforços. Isso acontece por meio da oração sincera. É isto que eu chamo de "vitória sem luta”. A oração é uma batalha.

Portas Abertas: Quando é difícil orar?
Barnabé: Eu considero a oração a tarefa mais fácil dentre todas as disciplinas espirituais. Mas eu sei o que você quer dizer. Percebi que quando eu trabalho muito, a oração vira simplesmente uma atividade simbólica. Eu oro, mas meu coração não está realmente conectado. Oro só por obrigação. Eu desafio os cristãos, especialmente aqueles envolvidos no ministério, a verdadeiramente dedicar tempo à oração.

Portas Abertas: Você fugiu do Vietnã e ficou exilado por três anos para evitar detenção e prisão. Qual foi o papel da oração em sua vida durante esses tempos difíceis?
Barnabé: Havia muitas perguntas rondando minha mente durante esse momento difícil. Mas o tempo de exílio também me deu muitas oportunidades para orar. Durante três anos, tudo que fiz foi orar. Eu desenvolvi a disciplina e a oração tornou-se fácil.

Portas Abertas: Pelo que você orava?
Barnabé: Primeiramente, orava por minha família, para que permanecesse forte e não renunciasse sua fé. Eu sempre me lembro de minha esposa e filhos. Tenho três filhos. Na época, meu filho tinha 18 anos, minha filha do meio tinha 15 anos e minha filha mais nova, 12. Orava: "Senhor, por favor, mostre à minha família a razão pela qual eu não posso estar com eles".

Meu filho me enviou uma carta, um mês depois de minha partida. Ele disse que me amava muito e estava orgulhoso de mim e do sacrifício que fiz.

A professora da minha filha mais nova disse a ela que seu pai havia fugido porque traiu o país. Isso partiu meu coração. Ela ficou tão abalada que suas notas caíram.

Minha filha do meio me encorajou bastante. Minha esposa me disse que ela era a encorajadora da família. Ela costumava me enviar fotos em que aparecia muito feliz. Ela escrevia: "Papai, não se preocupe com a gente".

Em segundo lugar, orava pela igreja. Eu era o líder da minha denominação e um dos membros fundadores de uma rede de igrejas domésticas independentes no Vietnã. Meus ministérios continuaram e prosperaram, apesar da minha ausência.

Portas Abertas: Como os cristãos devem tratar a oração?
Barnabé: Meu conselho é lembrar que a oração não é uma campanha que fazemos nas igrejas, mas um elemento essencial da nossa fé. É uma luta. Vencemos as batalhas de joelhos. Devemos encontrar tempo para orar. Oramos porque é importante. Sempre que eu visito algumas igrejas em outros países, mais prósperos, encontro na programação: "Parte 1: Oração (1 minuto)”. Acho que não devemos colocar limite de tempo para a oração. Não é algo programável.

Tenho visto o poder da oração na minha igreja. Há um ano, estamos fazendo uma corrente de oração de 24 horas. Uma pessoa ou mais se compromete a orar por um determinado tempo, formando uma cadeia de 24 horas. Temos visto o crescimento espiritual e numérico. E esta é minha conclusão: a força da igreja corresponde à força de sua vida de oração.

Portas Abertas: Como você ensina a orar em sua igreja?
Barnabé: Em nossa igreja, a primeira coisa que ensinamos quando uma pessoa aceita Jesus é a oração. Eu também prego sobre este assunto todo mês.

Portas Abertas: Você está na linha da frente, soldado de Deus. Qual é a importância da oração de outros cristãos para aqueles que estão na linha de frente?
Barnabé: Quando você ora por alguém, essa pessoa fica no seu coração. Seu amor cresce pela pessoa por quem você ora. Tenho orgulho de dizer que muitos dos membros da nossa igreja oram por mim. Isto é o que eu pergunto a eles: "Como você pode dizer que me ama, se você não ora por mim? Seu hábito de orar por alguém determina o quanto você o ama”.

Oração e entrega estão conectados. Quanto mais você orar pelos obreiros de Deus e pela obra de Deus, mais pessoas se entregarão para a sua causa. A oração é a autoridade que Deus nos deu. Quando oramos, ganhamos autoridade em muitas coisas. A fé de uma pessoa é fortalecida pela oração.

Portas Abertas: Qual é o seu conselho para as pessoas ocupadas que não têm tempo para orar?
Barnabé: Quando a situação está difícil, tento a agir mais e orar menos. Eu aprendi a desenvolver uma atitude de oração em toda a minha vida. O que Paulo queria dizer quando nos mandou orar sem cessar é parar de tempos em tempos, ir a um santuário e orar. Mas acho que também significa manter-se em atitude de oração, independente do que estiver fazendo. Isso quer dizer uma consciência elevada de Deus em nossa vida diária. Por exemplo, enquanto eu asso pão, oro em minha mente. Quando eu dirijo, oro em minha mente. Também tento conectar a verdade de Deus em minhas lutas do dia a dia. Isso também é oração para mim.

Portas Abertas: Falta de oração é pecado?
Barnabé: Não diria categoricamente que é um pecado. Mas posso dizer que uma pessoa perde muito quando não pratica uma vida de oração. Uma pessoa que não ora, não vai amadurecer espiritualmente. Ausência de oração deixa a pessoa fraca. É sua escolha orar ou não. Uma vida sem oração não é pecado, mas pode facilmente levá-lo a pecar. Isso porque quando você não ora, está longe de Deus, e quando está longe de Deus, é fácil pecar.

veja também