Organização cristã resgata mais de 500 pessoas do trabalho escravo, na Índia

A polícia, funcionários do governo e funcionários da Missão 'Internacional Justice' empreenderam a operação na sequência de uma chamada de um trabalhador que tinha conseguido escapar e compartilhou "histórias chocantes de abuso".

fonte: Guiame, com informações do Christian Today

Atualizado: Domingo, 6 Março de 2016 as 8:45

Trabalhadores em uma fábrica de tijolos em Podicherry, na Índia (Foto: Rajaram / "The Art of Building")
Trabalhadores em uma fábrica de tijolos em Podicherry, na Índia (Foto: Rajaram / "The Art of Building")

Mais de 560 pessoas, incluindo mulheres e crianças, foram resgatadas da escravidão na Índia, no que está sendo considerado a maior operação de resgate já executada pela organização cristã 'International Justice Mission' (IJM).

A polícia, funcionários do governo e funcionários da IJM libertaram centenas de famílias do trabalho forçado em um forno de tijolos na periferia de Tiruvallur, Chennai, na quarta-feira.

Eles empreenderam a operação na sequência de uma chamada de um trabalhador que tinha conseguido escapar. De acordo com um comunicado da IJM, ele compartilhou "histórias chocantes de abuso". Quando os oficiais chegaram, encontraram centenas de pessoas em trabalhos forçados. As famílias recebiam apenas 400 rúpias (menos de 5 libras) por semana em troca de dias de trabalho longos, que se iniciavam às três horas da manhã, e vivendo em tendas ou salas improvisadas com telhados de zinco.

A IJM disse que quase 200 crianças viviam na instalação, quase metade dos quais eram menores de cinco anos. Uma vez que atingiam 12 anos de idade, a maioria delas trabalhava ao lado de seus pais. As mulheres grávidas não recebiam qualquer tipo de descanso, e uma mulher disse que ela foi forçada a dar à luz no forno, já que não tinha permissão para ir ao hospital.

"Quando os oficiais explicaram que o resgate tinha chegado, muitos não conseguiram acreditar que era real", disse a IJM sobre a operação da última quarta-feira.

"Um oficial do governo pertuntou à multidão: 'Quem quer ir embora?', mas ele foi recebido com um silêncio atordoado. Lentamente, um homem levantou a mão, depois outro. Logo dezenas de mãos cansadas se levantaram. Estavam prontos para finalmente saírem para a segurança".

Existem milhares de fornos de tijolos na Índia, que muitas vezes empregam famílias, submetendo-as a trabalhos forçados, a fim de pagar as dívidas com enormes taxas de juros - o que é efetivamente uma forma de escravidão econômica.

Um casal de resgatados na quarta-feira disse ao jornal 'Times of India' que tinham sido levados para trabalhar na fábrica por um homem que prometeu emprestar-lhes 17.000 rúpias, em troca de um ano de trabalho. Lutando para sustentar a sua filha de dois anos de idade, após uma colheita que havia mal sucedida, o casal concordou, juntamente com cerca de 50 outras pessoas de sua aldeia. Mas ao chegar em Tiruvallur, eles descobriram que não seriam autorizados a deixar a instalação e, apesar de sua própria filha ter em sua cidade natal, eles disseram que o proprietário poderia abusar fisicamente dos filhos de outras famílias.

"Nós apenas queremos ver a nossa filha de novo", disse o casal ao 'Times' após o seu resgate.

A IJM resgatou mais de 500 pessoas da mesma fábrica, em 2011, e o proprietário e outros cinco já foram presos, acusados ​​nos termos da legislação anti-tráfico Lei Trabalhista da Índia.

"A operação destaca uma necessidade crítica na luta contra a escravidão: Se os criminosos continuam livres, a violência vai continuar", disse a IJM. "Mas se as leis forem aplicadas e se traficantes forem para a cadeia, podemos acabar com a escravidão para o bem".

A IJM é uma organização cristã evangélica de Direitos Humanos, fundada por Gary Haugen em 1997. O grupo trabalha principalmente para combater o tráfico sexual, o trabalho forçado, entre outros abusos.

veja também