Organizações cristãs se mobilizam para suprir necessidades no Nepal

fonte: Guiame, com informações do Christian Head Lines

Atualizado: Terça-feira, 5 Maio de 2015 as 1:19

Atingindo 7,8 graus na escala Richter, o terremoto do dia 25 de Abril foi considerado o mais forte dos últimos 80 anos no Nepal.
Atingindo 7,8 graus na escala Richter, o terremoto do dia 25 de Abril foi considerado o mais forte dos últimos 80 anos no Nepal.

Próximo do horário do fim dos cultos nas igrejas em todo o Vale da cidade de Catmandu, em 25 de abril, os cristãos atordoados cambaleavam para saídas, com a terra estremecendo sob seus pés, em um terremoto que os surpreendeu.
 
Para muitos cristãos nepaleses, Sábado é o dia habitual de cultos, e os cristãos - minoria religiosa do país - realizavam seus cultos religiosos por volta do meio-dia (horário local), quando um terremoto de 7,8 graus na escala Richter atingiu a nação do Himalaia e matou mais de 4.000 pessoas. Em Cathmandu, pelo menos 80 fiéis morreram quando uma igreja evangélica desabou.
 
O tremor atingiu cerca de 9 milhas (aproximadamente 14,5 km) abaixo da superfície da Terra, mas os cientistas afirmaram que o tremor foi "superficial" o suficiente para causar danos maciços acima do solo e forte o suficiente para se igualar ao poder de uma explosão de mais de 20 armas termonucleares.
 
Na verdade, o tremor foi cerca de 16 vezes mais poderoso que o terremoto mortal que atingiu o Haiti em 2010.

Um tremor secundário no dia seguinte ao terremoto sacudiu os prédios do Nepal a cerca de 700 milhas de distância na capital indiana de Nova Delhi.

Pelo menos 18 alpinistas - incluindo quatro norte-americanos - morreram quando o terremoto provocou uma avalanche no Monte Everest.
 
Hospitais ficaram sobrecarregados, à medida que pacientes gravemente feridos ultrapassaram a capacidade médica na nação empobrecida e aldeias devastadas no epicentro perto do distrito de Gorkha permaneceram isoladas por deslizamentos de terra que bloquearam estradas com pedras e lama.
 
Na capital Catmandu, no Nepal, o terremoto derrubou templos e outros locais religiosos na nação predominantemente hindu, e famílias enlutadas realizavam rituais hindus solenes para cremar seus entes queridos.
 
Alguns membros da família, mortos na tragégia eram carregados em macas de bambu, encosta abaixo para serem queimados em fogueiras, à beira dos rios. Um padre local disse que as famílias haviam queimado mais de 1.200 corpos dentro de 48 horas em rituais perto de um templo em Catmandu.
 
Enquanto a fumaça subia de por conta dos funerais realizados à beira dos rios, orações e cantorias subiam de campos abertos em cidades vizinhas, entoadas por cristãos das igrejas locais, que se reuniram com os outros ao ar livre para evitar os perigos de fortes tremores. Alguns perderam suas casas no terremoto.
 
Os cristãos representam menos de 3% da população em um país que já foi considerado o único reino hindu do mundo. Depois de anos de intensa perseguição, os cristãos nepaleses agora têm mais liberdade para conhecer abertamente sua fé, apesar de que a evangelização ainda continua a ser uma atividade "ilegal".
 
O braço humanitário internacional da Convenção Batista do Sul (SBC), "Baptist Global Response" informou igrejas locais têm sido um ponto de partilha de recursos limitados e centros comunitários, oferecendo abrigo, água limpa e comida aos vizinhos necessitados. (A parceira local disse ao grupo que pelo menos 17 corpos foram encontrados em uma igreja nas proximidades. O pastor da igreja perdeu três de seus familiares).
 
Trabalhadores da "Rescue Network Nepal", uma organização cristã indígena havia treinado anteriormente treinou voluntários através de igrejas locais para prestar primeiros socorros e cuidados em casos de traumas como estes em regiões rurais.
 
Organizações cristãs internacionais como a "Samaritan's Purse" (presidida por Franklin Graham) e a "Convoy of Hope" enviaram equipes e suprimentos para a região, em conjunto com redes de igrejas nas comunidades locais.

David Platt, presidente da "International Mission Board" da Convenção Batista do Sul (EUA) disse que sua denominação também poderia ajudar nos esforços de socorro, incluindo tanto as necessidades materiais e espirituais.
 
"À luz da falta de acesso ao evangelho em grande parte do Nepal, ver a necessidade física e espiritual urgente colidem de forma esmagadora", Platt escreveu após o terremoto. "Um desastre natural como este no Nepal ressalta o fato de que em um mundo de dor e sofrimento, a esperança final para as nações é o evangelho de Jesus Cristo".

veja também