Pastor cria projeto social para crianças na África: “Elas vivem nas ruas e comem lixo”

Depois de notar que na África muitos pais abandonam as crianças pela grande quantidade de filhos, o pastor Joel Engel decidiu criar um projeto voltado para os pequenos. Confira entrevista no Guiame!

fonte: Guiame

Atualizado: Quinta-feira, 11 Maio de 2017 as 5:07

Com uma realidade marcada pela fome e falta de infraestrutura básica, a África tocou o coração do apóstolo Joel Engel em uma viagem missionária feita no ano passado pelo continente.

Conhecido por liderar a Escola Profética, Engel visitou a África no fim de 2016 para fazer parte da formatura dos alunos do curso online. No entanto, ao notar que centenas de crianças faziam parte do público do evento, algo mudou em sua jornada.

“Eu fui lá para ungir os alunos adultos que participaram da Escola Profética, mas Deus falou comigo de uma maneira muito forte: ‘Não se esqueça dos pequeninos’”, disse Engel em entrevista ao Guiame.

Com esse impacto surgiu o Projeto Daniel, que pretende construir igrejas com uma infraestrutura ao seu redor, contando com creches, escolas e hospitais. O objetivo da missão é minimizar os problemas da fome, desnutrição, falta de assistência médica e levar o ensino bíblico às crianças, formando futuros evangelistas para a África.

“O nome do projeto é baseado no livro bíblico de Daniel, o profeta que foi levado como escravo para a Babilônia mas recebeu uma boa alimentação, recebeu estudos e se tornou governador”, explica Engel.

Realidade das crianças na África

Em sua última viagem à África, Engel notou que um dos motivos de desequilíbrio social é a grande quantidade de crianças por família. “Eu conheci pais que tinham 120 filhos, pois é muito comum ver homens com dez esposas, por exemplo. Então essas crianças acabam indo para as ruas e comem qualquer coisa — gafanhotos, ratos”, revela.

“Dentro daquela cultura, eles não sabem plantar e não usufruem de saneamento básico.  Então a riqueza da África está nas pessoas, nas crianças”, acrescentou o apóstolo.


Joel Engel em momento de refeição com as crianças, dentro de uma igreja africana. (Foto: Reprodução/Facebook)

Para preencher a falta de estrutura social e familiar, o Projeto Daniel quer incentivar e capacitar cada pastor africano para se tornarem professores e pais, dentro das escolas. “Queremos adotar aquelas crianças, não apenas fazer com que elas frequentem os cultos”, disse Engel.

Projeto inicial

Um projeto piloto será estabelecido em Campala, capital de Uganda, onde a missão já recebeu uma extensão de 17 hectares de terra do governo africano. “Vamos levar uma equipe que vai ensinar a população a plantar e criar animais, para que as famílias possam se sustentar”, explica Engel.

Em parceria com o especialista em medicina molecular e toxigenética, José Valdair de Sousa, as comunidades africanas receberão suplementação alimentar com farelos e pastas orgânicas.

“A ideia é criar micro cidades com água, luz e saneamento básico. Naquele lugar, os pastores terão trabalho todos os dias, as crianças irão estudar e não precisarão sair para comer nas ruas”, acrescenta o apóstolo.

Para Engel, é importante que a Igreja se una ao governo para assumir as questões sociais. “A Igreja deve se envolver na área social. Na África, há uma quantidade muito grande de pessoas e uma grande porcentagem delas são cristãs. Então a Igreja deve assumir a parte social em conjunto com o governo, que também deve assumir sua responsabilidade”.

Para saber mais sobre o Projeto Daniel e a Escola Profética, acesse os sites ministerioengel.com e escolaprofetica.com.br.

veja também