Pastor é supostamente forçado a confessar crime contra governo da Coréia do Norte

Vestido com um terno azul escuro, Lim falou a um pequeno público presente na audiência judicial. No entanto, há rumores de que ele parecia estar lendo um roteiro.

fonte: Guiame, com informações de Christian Today

Atualizado: Terça-feira, 4 Agosto de 2015 as 5:02

Vestido com um terno azul escuro, Hyeon Soo Lim falou a um pequeno público. (Foto: Reuters)
Vestido com um terno azul escuro, Hyeon Soo Lim falou a um pequeno público. (Foto: Reuters)

 

Segundo ele, seu propósito era "derrubar seu sistema social, aproveitando a política hostil contra ele, para criar uma base a fim de construir um Estado religioso", relatou à imprensa.

Lim visitou a Coréia do Norte por mais de 100 vezes desde 1997. Lá, o pastor ajudou a estabelecer um orfanato e um asilo, de acordo com relatos da igreja. Ele passou a viver no Canadá desde 1986, e tem a cidadania canadense.

O Canadá suspendeu relações diplomáticas com Pyongyang em 2010. Tanto a Coréia do Norte como a vizinha, China, reprimem grupos cristãos. Muitos cristãos americanos foram detidos pela Coréia do Norte.

veja também