Pastor morre envenenado após disputa teológica com muçulmano, em Uganda

O pastor Micah Byamukama estava sozinho em sua casa quando recebeu a visita do suspeito. Fingindo a busca por uma reconciliação, ele jantou com o pastor e colocou veneno em sua comida.

fonte: Guiame, com informações de Christian Telegraph

Atualizado: Segunda-feira, 23 Maio de 2016 as 4:51

Cerca de 85% da população em Uganda é cristã, e 11% se declara muçulmana. (Foto: Reuters)
Cerca de 85% da população em Uganda é cristã, e 11% se declara muçulmana. (Foto: Reuters)

Um pastor foi morto por envenenamento após ter tido um diálogo teológico intenso com um muçulmano, no leste de Uganda. Micah Byamukama, líder da Igreja Batista Kasecha, faleceu aos 61 anos de idade no dia 15 de maio, depois de ingerir uma refeição contaminada.

O suspeito, Ahmed Mupere, disse que se “chateou” com o pastor depois de ter sua teologia desafiada em discussões públicas. Micah havia afirmado que "o verdadeiro Deus é o Senhor Jesus Cristo, que tomou o poder das mãos de Satanás, incluindo do gênio islâmico (uma entidade angelical para os muçulmanos)”.

Uma semana antes do envenenamento, pessoas não identificadas tentaram atacar o pastor à facadas. Micah se feriu, mas seus vizinhos o salvaram a tempo de sua vida ser poupada.

Viúvo sem filhos, Micah estava sozinho em sua casa quando recebeu a visita de Ahmed, no dia 15 de maio  cinco dias após o primeiro ataque. Fingindo a busca por uma reconciliação, ele jantou com o pastor e colocou veneno em sua comida.

Antes de morrer, o pastor relatou a um de seus vizinhos: "Ahmed comeu um pouco de comida comigo e depois parou. Quando perguntei por que ele não iria continuar com a comida, ele disse que tinha comido em sua casa, e que já voltaria porque estava ficando tarde".

Pouco depois, o pastor começou a sentir fortes dores de estômago e foi levado ao centro de saúde local. De acordo com enfermeiros, Micah morreu por ter ingerido uma substância chamada “organofosforado”, um inseticida altamente tóxico.

A polícia iniciou as investigações, no entanto, Ahmed fugiu da aldeia em que vivia.

Antes de se converter, Micah era seguidor do animismo, religião que acredita que entidades não-humanas, como animais, plantas ou objetos possuem uma essência espiritual. Anteriormente ele era chamado de Mukama, mas ao se tornar cristão, ele mudou seu nome para "Byamukama", que significa "Todos por Deus."

Cerca de 85% da população em Uganda é cristã, e 11% se declara muçulmana, localizada em grandes comunidades ao leste do país. A constituição da Uganda apoia a liberdade religiosa, incluindo o direito de propagar a fé e converter pessoas.

veja também