Pastores pregaram o evangelho durante dias de prisão: "Deus tem a Sua maneira de trabalhar"

"[Aquela prisão] foi o melhor lugar e a fase mais feliz para mim, porque fui colocado na mesma cela de pessoas condenadas e tive oportunidade de pregar a todos", disse o Pastor Peter Yen, que esteve preso no Sudão do Sul.

fonte: Guiame, com informações da Missão Portas Abertas (Internacional)

Atualizado: Sexta-feira, 17 Junho de 2016 as 4:30

Os pastores Peter Yen e Michael Yat ajudaram a trazer alguns companheiros de prisão à fé em Jesus Cristo. (Foto: Missão Portas Abertas)
Os pastores Peter Yen e Michael Yat ajudaram a trazer alguns companheiros de prisão à fé em Jesus Cristo. (Foto: Missão Portas Abertas)

Após serem libertos da prisão, dois pastores do Sudão do Sul disseram que aproveitaram a oportunidade de pregar o evangelho, enquanto eles estavam presos.
 
De acordo com a entrevista concedida à Missão Portas Abertas, os pastores Peter Yen e Michael Yat ajudaram a trazer alguns companheiros de prisão à fé em Jesus Cristo.
 
Os dois pastores foram detidos no Sudão. Eles foram presos em dezembro de 2014 e janeiro 2015, com seis acusações, incluindo 'espionagem', 'promoção de ódio entre as religiões' e 'ameaça ao sistema constitucional'.
 
Os dois homens foram libertos do verão de 2015.
 
O pastor Michael foi preso em dezembro de 2014 e o pastor Peter foi ao escritório de Assuntos Religiosos para perguntar sobre sua prisão. No entanto, os agentes de segurança acabaram prendendo Peter logo em seguida.
 
"Eu disse a eles, que como um pastor, meu dever é o de pregar o evangelho onde quer que vá, mas que em última análise, é Deus quem muda os seres humanos", disse Peter. "Eles insistiram que as pessoas na lista ainda eram muçulmanos, porque seus nomes não tinha mudado, mas eu expliquei que os cristãos não estão preocupados com os nomes, mas sobre a transformação do coração de uma pessoa".
 
Eles foram então transferidos para a prisão Omduran, que tem mais de 3.000 prisioneiros, antes de voltar para a prisão de Kober.

"As condições eram muito difíceis ", disse Peter. "A prisão era tão quente que você poderia torcer o suor de sua camisa. Mas aquele foi o melhor lugar e a fase mais feliz para mim, porque fui colocado na mesma cela de pessoas condenadas e tive oportunidade de pregar a todos".
 
"Ele me deu a oportunidade de compartilhar sobre o céu e sobre Cristo", acrescentou. "Eles ficaram chocados e queria saber mais. Sempre que os agentes penitenciários percebemos que estávamos pregando aos companheiros de prisão, que nos levaria a outras células. Nós não mente, pois desta forma temos acesso a quase todas as pessoas condenadas! Deus certamente tem suas maneiras de fazer as coisas, mesmo usando aqueles que pensam que estão punindo ".

veja também