Pastores são espancados e presos por orarem em suas próprias casas, na Índia

No ano passado, aconteceram pelo menos 147 casos de ataques contra cristãos na Índia. Em 2015, até o final de outubro, foram registrados 130.

fonte: Guiame, com informações de Christian Today

Atualizado: Sexta-feira, 13 Novembro de 2015 as 11:31

Evangelista indiano, segurando uma ‘literatura religiosa’. (Foto: Indian Express)
Evangelista indiano, segurando uma ‘literatura religiosa’. (Foto: Indian Express)

Na Índia, os cristãos estão sendo espancados e mortos e a influência dos radicais hindus aumentou ainda mais desde que o primeiro-ministro Narendra Modi foi eleito no ano passado.

"A situação se deteriorou no norte [do país]. Não são apenas os cristãos. As outras minorias da sociedade civil são afetadas também", disse Vijesh Lall, secretário da Comissão de Liberdade e Desenvolvimento da Associação Evangélica da Índia ao site Christian Today.

Lall contou sobre o caso de pastores cristãos que foram espancados e presos simplesmente por orarem juntos, na residência de um deles.

Há 35 quilômetros de Nova Deli, 13 pastores estavam reunidos na casa de um deles. Eles estavam em uma reunião de oração, sem influenciar as pessoas na rua. Ainda assim, eles foram atacados, espancados e levados para uma delegacia. Depois de horas de custódia, eles foram libertados.

"Os cristãos têm medo e isso tem acontecido há algum tempo. As pessoas costumavam atacar os cristãos por eles evangelizarem na rua. Agora os cristãos não estão mais seguros nem orando em suas próprias casas", disse ele.

Violência Crescente

No ano passado, aconteceram pelo menos 147 casos de ataques contra cristãos na Índia. Em 2015, até o final de outubro, foram registrados 130.

"Eu não vejo um futuro brilhante a menos que o primeiro-ministro realmente faça alguma coisa. Ele está lá no seu país agora. Talvez as pessoas possam tentar falar com ele sobre isso", suplicou Lall.

Dentre a população indiana de 1,21 bilhão, cerca de 2,3% são cristãos, representando um número que está entre 25 e 27 milhões de pessoas.

Segundo um relatório publicado no início do ano pela Associação Evangélica da Índia, 54% dos ataques aconteceram em forma de ameaças, intimidação e coerção - tendo, muitas vezes, a monitoria da polícia. A violência física, que constitui um quarto dos casos, aumentou em 11%.

Nos primeiros 300 dias de mandato do primeiro-ministro Modi, que começou no dia 26 de maio de 2014, foram documentados 600 casos de intolerância religiosa dirigida às minorias religiosas. Destes, 149 foram contra os cristãos. Houveram 43 mortes por esses atos de violência.

veja também