Pela liberdade religiosa e fim do silêncio das nações

Cada pessoa, em qualquer lugar desse mundo, deve ter o direito de praticar sua fé e sua religião

fonte: guiame.com.br

Atualizado: Quarta-feira, 12 Novembro de 2014 as 10:16

Roberto de LucenaEm missão oficial na Noruega, sem custo para a Câmara dos Deputados, fiz parte da coalisão parlamentar internacional para lutar pela liberdade religiosa no mundo, como direito humano fundamental, conforme artigo 18 da Declaração Universal dos Direitos Humanos.

A liberdade religiosa é um dos direitos humanos fundamentais. Cada pessoa, em qualquer lugar desse mundo, deve ter o direito de praticar sua fé e sua religião. Não é possível que em pleno século 21 pessoas estejam sendo presas ou decapitadas por sua opção religiosa. Mais grave que isso é o silêncio das nações.

Sou autor de um projeto de lei que autoriza o presidente da República suspender relações diplomáticas e comerciais com países que promovam ou tolerem a perseguição religiosa. Não podemos achar que isso não nos diz respeito. O Brasil possui importantes credenciais que o colocam na condição de uma voz, que pode ser ouvida em toda a comunidade internacional.

Na cidade de Oslo, capital da Noruega, uni-me a parlamentares de diversos países que estão dispostos a quebrarem o silêncio e a produzirem um movimento mundial que lute pelos perseguidos por causa de sua fé e de sua religião.

Como representante do Brasil no Painel Internacional de Parlamentares pela Liberdade de Religião ou Crença, que teve início em 6 de novembro, ao lado do deputado Leonardo Quintão, de Minas Gerais, e do Dr Uziel Santana, da ANAJURE, parlamentares de todo o mundo e eu firmamos um compromisso, por meio da assinatura de um documento, a Carta de Oslo, de lutar contra a intolerância e a perseguição religiosa no mundo.


- Roberto de Lucena
Deputado federal pelo PV-SP e representante do Brasil em encontro mundial de líderes e parlamentares na Noruega

veja também