Pena de Saeed Abedini pode aumentar no Irã; Autoridades dizem que 'única saída é negar a fé cristã'

Apesar da imposição, o pastor Saeed e sua esposa, Naghmeh Abedini afirmaram que 'negar a fé cristã está fora de questão'.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Quinta-feira, 11 Junho de 2015 as 7

Saeed Abedini nasceu no Irã, mas se naturalizou norte-americano.  O pastor está preso há dois anos e meio, sendo mantido longe de sua esposa e seus dois filhos pequenos.
Saeed Abedini nasceu no Irã, mas se naturalizou norte-americano. O pastor está preso há dois anos e meio, sendo mantido longe de sua esposa e seus dois filhos pequenos.

O Pastor norte-americano Saeed Abedini já foi violentamente espancado por companheiros de prisão em um tumulto na prisão iraniana onde ele está sendo mantido. Esta não foi a primeira vez que o pastor sofreu agressões e, apesar das claras lesões deixadas pela agressão, como um olho roxo e outras marcas, os guardas prisionais interferiram a tempo de que os danos não fossem agravados.

O Centro Americano para Lei e Justiça (ACLJ) - grupo que representa a esposa do pastor Saeed, Naghmeh Abedini e os dois filhos do casal nos EUA - disse que duranta a agressão, os prisioneiros também destruíram uma pequena mesa que o pastor tinha usado para estudar e ler.

Abedini foi autorizado a ver um médico da prisão, que alegou que nenhum osso foi quebrado. Na quarta-feira, Saeed também teve a permissão de ver um membro da família, que foi visitá-lo e ver seus ferimentos em primeira mão.

"É devastador para mim e para minha família que Saeed tenha sido novamente espancado na prisão. A vida de Saeed é continuamente ameaçada, não só porque ele é um cidadão norte-americano, mas também porque ele é um convertido do islamismo para o cristianismo. É hora de levar Saeed para casa, antes que seja é tarde demais", disse Naghmeh Abedini em resposta à notícia.

Em maio, Abedini marcou o seu 35º aniversário na prisão, onde passou mais de dois anos e meio por causa de sua fé cristã. Ele foi preso no Irã em 2012, enquanto trabalhava em um orfanato e posteriormente, condenado a oito anos de prisão.

O pastor tem enfrentado uma série de espancamentos na prisão, tanto de outros reclusos, como também de alguns guardas. O ACLJ e Naghmeh Abedini expressaram preocupações, porque as condições de saúde do pastor pioram a cada surra.

Na semana passada, Naghmeh Abedini falou perante o Congresso dos EUA, pedindo que sejam tomadas novas medidas para ajudar a libertar seu marido.

"Ao longo dos últimos três anos, eu tive que ver os meus dois filhos, Rebekka (que tem 8 anos de idade) e Jacó (que é de 7 anos de idade), sofrem diariamente como eles cresceram sem um pai ou uma mãe," Abedini disse.

"Estou aqui hoje como uma mãe solteira, que está tentando ser forte por seus filhos e como uma esposa que humildemente admite: 'eu preciso de sua ajuda'. Eu não posso suportar olhar para os olhos ardentes dos meus filhos mais uma vez e explicar-lhes o motivo de seu pai ainda não estar em casa", disse a esposa do pastor.

Posteriormente, ela disse ao The Christian Post que Saeed foi alertado de que sua sentença de prisão será aumentada, a menos que ele negue a sua fé cristã - algo que ela insiste que seu marido não vai fará.

"As vezes eles tê-lo movido dentro e fora da solitária [confinamento], e as vezes eles o ameaçaram, eles disseram: 'Você vai ficar aqui mais tempo do que os oito anos e sua única chave para a liberdade é se você negar sua fé cristã e você voltar ao islamismo ". Os guardas disseram que, as autoridades disseram que continuamente ", disse Abedini.

veja também