"A perseguição religiosa existe porque o diabo tem medo", diz fundador da JOCUM

Loren Cunningham afirmou que a perseguição religiosa está ligada ao crescimento do cristianismo e alertou que o maior avivamento da História está a caminho.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Terça-feira, 11 Abril de 2017 as 4:31

Loren Cunningham durante pregação na Coreia do Norte. (Foto: YWAM)
Loren Cunningham durante pregação na Coreia do Norte. (Foto: YWAM)

O fundador do grande movimento missionário juvenil internacional 'YWAM' (JOCUM) acredita que "o maior despertar espiritual que o mundo já conheceu" está prestes a acontecer e que em 2033 a Bíblia será impressa em todas os idiomas do mundo.

Loren Cunningham, fundador da organização cristã 'Youth With a Mission', disse em uma entrevista a Steve Strang em um podcast do grupo Charisma que mesmo à luz de todas as notícias sobre a saída de muitos americanos da Igreja, é importante revisitar a História, observando um padrão de 500 anos em todo o relato bíblico. O Ano de 2017 é o 500º aniversário da Reforma Protestante. Em 1517 Martinho Lutero pregou suas 95 teses, esboçando suas objeções à Igreja Católica Romana, à porta de um templo, em Wittenberg, Alemanha.

"Outros 500 anos vieram, não por causa da História, mas porque Deus tem feito algo pela História", disse Cunningham. "O que eu vejo no mundo é que estamos preparados para o maior despertar espiritual que o mundo já conheceu".

Esse avivamento começará com o povo de Deus, mas o juízo também começa ali, uma limpeza necessária, explicou. Mas enquanto isso, ateus, pessoas com animosidade em relação Deus "estão sendo preparadas", disse ele.

Os sinais na natureza são evidência deste movimento de vinda com os desastres naturais que ocorrem mais e mais. Esses eventos são perturbadores na vida de milhares de pessoas, observou Cuningham.

"Também temos o terrorismo, guerras e rumores de guerras. Isto ainda são rumores para a maioria entre nós, mas ainda há guerra no Afeganistão, Iraque e outros lugares", continuou Cunningham.

"Então, quando começamos a entender o que Deus está fazendo, precisamos entregar uma Bíblia para cada lar no mundo, pelo menos parte da Palavra de Deus. E, ao fazê-lo, veremos como resultado as coisas maravilhosas que Deus está fazendo", acrescentou

Com a tecnologia de hoje, Cunningham prevê que em poucos anos versões de áudio da Bíblia vão ser gravadas nos idiomas da terra que ainda não têm nenhum trecho das Escrituras traduzido. O missionário ainda afirmou que ele e suas equipes estão empenhando em cumprir esta missão.

O 'Christian Post' observou no mês passado que a organização 'Wycliffe Associates' celebrou recentemente seu 75º aniversário ministerial traduzindo a Bíblia nas línguas nativas das pessoas, observando que hoje "mais de 550 línguas têm a Bíblia completa e mais de 2.400 têm o Novo Testamento ou outros livros da Bíblia já traduzidos".

No entanto, aproximadamente "1.800 outras línguas estão esperando que o trabalho de tradução da Bíblia para seu próprio idioma comece, embora os métodos de novas tecnologias estejam fazendo com que o processo seja muito mais rápido que nas décadas anteriores".

Cunningham reiterou que a maior colheita de almas para Reino que o mundo já conheceu é atual é pode ser acompanhada por diversas notícias.

"Está acontecendo na China. Eles são o lugar número 1 do mundo onde cada vez mais pessoas estão se entregando a Cristo. Não é por acaso que eles também são a maior nação do mundo, 1,4 bilhão de pessoas", disse ele .

No entanto, com a grande colheita, outra coisa está no horizonte: a crescente perseguição.

Em julho do ano passado (2016), Yu Jie, ativista cristã da China afirmou em entrevista à revista First Things, que "quanto maior a perseguição, maior é o avivamento". A perseguição, de fato, foi severa, mas o avivamento, de acordo com Yu, é algo que separa o "joio do trigo".


Defesa e ataque
O fundador da JOCUM explicou que esta dura relação entre avivamento e perseguição religiosa tem explicações no âmbito espiritual.

"A perseguição religiosa acontece porque o inimigo está com medo", disse Cunningham.

"Durante a perseguição, o crescimento do Reino de Deus é muito mais rápido, porque Jesus disse: 'Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura'. Agora isso significa que todos têm de ouvir, porque têm o direito, porque Jesus morreu por eles, mesmo que eles não saibam que têm esse direito".

O missionário também destacou que todo ser humano não tem só o direito de ouvir o Evangelho, mas também de ler e estudar sobre ele.

"Em segundo lugar, eles têm direito à Bíblia, porque Deus só tem um livro, e ele vai estar em todas as 7.092 línguas do mundo", disse ele, acrescentando que até o ano de 2033, ele acredita que a Palavra de Deus escrita estará traduzida em todas as línguas.

De acordo com o presidente da Wycliffe, Bob Creson, anteriormente "costumava levar 25 anos para traduzir o Novo Testamento, mas agora leva em média sete anos, graças a um software que auxilia no processo e maior participação e dos nativos nas comunidades locais".

Cunningham acrescentou que cada cristão tem um papel a desempenhar nesta colheita maciça de almas para Deus.

"Não tenha medo ao pensar que você não pode ser parte disso, porque teria que se esconder em algum lugar. Apenas faça o que Ele lhe diz e obedeça. Escute, obedeça e então não desista do seu chamado", afirmou.

Loren Cunningham e sua esposa Darlene iniciaram a JOCUM em 1960, uma organização interdenominacional sem fins lucrativos, cujo objetivo principal sempre envolver os jovens no trabalho missionário.

veja também