Perseguida pela fé cristã, China produziu 13 milhões de cópias da Bíblia ano passado

“Demoraram 20 anos para imprimir as primeiras 50 milhões de cópias, mas as segundas 50 milhões levaram apenas cinco anos", explica Qiu Zhonghui presidente da Amity Printing Co.

fonte: Guiame, com informações de The Telegraph

Atualizado: Quarta-feira, 22 Abril de 2015 as 9:01

Funcionário da Amity Printing Co. carrega pilhas de Bíblias nas instalações da empresa, em Nanjing, na província de Jiangsu.
Funcionário da Amity Printing Co. carrega pilhas de Bíblias nas instalações da empresa, em Nanjing, na província de Jiangsu.

 

A China, um dos países que está na lista de maiores perseguidores do cristianismo no mundo, é também um dos maiores produtores das Escrituras Sagradas. Qiu Zhonghui, presidente da Amity Printing Co., afirma que a empresa é a maior impressora mundial de Bíblias – só no ano passado, foram mais de 13 milhões de cópias em mais de 100 idiomas. 

Os livros são distribuídos na China e outros 70 países e regiões. "Desde que foi criada, a Amity Printing imprimiu 130 milhões de exemplares da Bíblia", disse Qiu, que é cristão. "Em 2012, comemoramos apresentação do 100 milionésimo exemplar. Demoraram 20 anos para imprimir as primeiras 50 milhões de cópias, mas as segundas 50 milhões levaram apenas cinco anos."

Acessibilidade

Fundada em conjunto com a Fundação Amity, uma ONG criada por iniciativa dos cristãos chineses e das Sociedades Bíblicas Unidas, a Amity Printing produziu o primeiro exemplar do "Livro Sagrado" em 1987.

"Na década de 80, muitos crentes na China não podiam pagar uma Bíblia, ou não tinham onde comprar uma", disse Qiu. "Algumas pessoas ainda tinham que copiar o palavra por palavra do livro, de modo que o falecido Bispo Ding Guangxun, que era o líder dos cristãos na China e também presidente da Fundação Amity, disse que deveríamos tentar fornecer Bíblias para o maior número de pessoas, e torná-los tão baratos que os menos abastados pudessem comprar uma cópia.”

De 1987 a 2012, mais de 105 milhões de exemplares da Bíblia foram impressos na China. "A Amity Printing começou a indústria bíblica em uma área remota do país, em 1987. Mas em 2008, se mudou para uma nova unidade, cuja capacidade anual de impressão é de 18 milhões de cópias."

Cristãos

Em junho de 2012, a Administração Estatal de Assuntos Religiosos anunciou que 139 mil locais foram liberados para atividades religiosas, e 56 mil desses locais se tornaram igrejas ou casas de reunião para cristãos.

De acordo com estimativas, existem de 23 a 40 milhões de cristãos na China, respondendo por 1,7 a 2,9% da população.

Dos 105 milhões de exemplares da Bíblia impressos na China de 1987 a 2012, 60% foi distribuído no interior do país, enquanto os 40% restantes foram para o exterior.

Valores

Na China, as Bíblias da empresa são vendidas por 10 yuans (R$ 4,86) até 30 yuan (R$ 14,57), um preço que quase todo mundo pode pagar.

Apesar de seu sucesso, a valorização do yuan e o aumento dos custos trabalhistas estão colocando pressão sobre a empresa, tanto na China como no exterior.

No entanto, como uma empresa inspirada pela fé, a empresa prioriza suas responsabilidades sociais: os funcionários ganham bons salários, recebem seguro social e também tem disponível dormitórios, comida e um centro de entretenimento.

Smartphones

Qiu disse que a empresa está, atualmente, planejando o desenvolvimento de um aplicativo para celulares que abrangem os métodos de leitura modernos.

"Ao invés levar o livro à igreja, muitas pessoas gostam de ler a Bíblia em seus smartphones", disse ele. "Ainda que um grande número de pessoas tenham Bíblias em casa, adoradores mais jovens podem mudar em breve esse hábito."

veja também